natalia

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sem Título


Minha vida não gira em função disso, mas de vez em quando passa pela minha cabeça, no táxi a caminho de uma festa ou descendo a escada rolante do metrô: será que hoje eu vou conhecer alguém?
Eu sempre duvido muito. Essas coisas não acontecem, penso, enquanto rastreio cuidadosamente o perímetro à procura de alguém em potencial.
No fundo eu sei que ele não está ali; seria óbvio demais. Mas também não consigo deixar de procurar. É como se, fazendo isso, eu estivesse me isentando da responsabilidade. Tipo, fiz a minha parte, colega. Procurei pra caramba e você nem estava lá.
Só que esse hábito foi se desenvolvendo e acabou virando um tipo de transtorno obsessivo compulsivo. E toda vez que eu penso no assunto, toda vez que eu lembro que posso conhecer alguém hoje, eu entro em pânico. Porque percebo que não faço a menor ideia de quem seja essa pessoa. Qualquer um pode ser alguém. É preciso ficar atenta; e - meu deus - como isso é exaustivo.
A impressão que eu tenho é que basta um movimento errado, um segundo de distração, para que eu deixe algo passar. Vai ver que é por isso que eu não consigo dormir à noite. Talvez eu tenha medo de fechar os olhos e perder alguma coisa importante.
Mas é impossível controlar tudo, não tem como. E é bem provável que eu não encontre alguém hoje. Talvez eu não encontre alguém nunca.
De repente, eu que vou ser encontrada.
E em vez de me preocupar tanto em olhar em volta, eu deveria aprender a fechar os olhos e, pelo menos uma vez, deixar que me procurem.

Se alguém for esperto, vai me achar.

video
WHOLE WIDE WORLD, Wreckless Eric

22 comentários:

  1. Ah, que fantástico! Adorei!

    Eu estou lendo um livro que comenta como por mais racional que você seja, ninguém consegue ficar isento de pensamentos mágicos do tipo: "Se eu pensar X, Y vai acontecer" ou Y não vai acontecer e tal. Pra mim é assim, eu fico sempre convencida de que, se eu pensar que VOU encontrar alguém na noite, eu NÃO vou encontrar.
    Péssimo, por que eu acabo quase sempre pensando isso, hehehe
    Ou seja, eu faço o contrário de você, mas ainda assim é um esforço. Talvez eu tenha que parar de mandar essas "bad vibrations" e deixar me encontrarem também...

    Foda o texto, psicótica! E essa música ficou perfeita!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkk
    Todo mundo é assim, voltado para alguma coisa, eu sou voltada para o fato de que magicamente tudo vai dar certo e eu vou trabalhar em umlugar específico que adoro e do jeito que tu pensando (num vou especificar muito porque é sacanagem, fica muito patético) mas daí vou pagar numa latada só o meu apê e vou morar sozinha sem dívidas e sufoco... Fazer o que, né? Cada um com sua loucura.

    Ah! Calma, não, eu não sou Magali de 2003.1, porque eu entrei na UFRN em 2004.2! hehehehehe
    Provavelmente o único ser em comum que possa existir entre a gente seja Geraldo de Lima, produtor de arte, uma amizade nascida de um quase trabalho conjunto (eu dei puti na galera que queria me contratar, rá!). Ele que me indicou o seu blog. Não sei porque, mas tenho uma estranha sensação que ele me acha psicótica.
    rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Se deixar encontrar faz todo o sentido...mas o que mata é essa espera e o pré encontro então o melhor é relaxar mesmo!!! Outro dia descobri que existe uma fobia de ficar solteiro...acredita? beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Para mim o pior é quando alguém diz que a gente está sozinha porque não está olhando para os lugares certos. Como assim? Eu olho pra-todo-lado-toda-hora e nada! OU então aquela história de que a gente vai encontrar quando não estiver procurando...mas quando é que não estamos procurando, meu Deus?
    Enfim, torço para ser encontrada também.

    ResponderExcluir
  5. Já pody chorar? Tbm tenho que aprender a deixar... a me encontrarem!

    ResponderExcluir
  6. Ahh "Se alguém for esperto vai me achar" e uma frase maravilhosa...
    As vezes penso nisso tbm.. e se nunca ninguém me encontrar?

    Boa sorte :)

    ResponderExcluir
  7. olha, eu nunca fui de procurar, sou meio paradinha. sempre me acharam e até agora, só roubada. então resolvi fazer o contrário. vai que...hahaha

    mixtééério
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Estou na exata mesma, amiga. Só no aguardo.

    ResponderExcluir
  9. Amei Natália. Só não dá pra perder a noite porque assim vai ficar "véia" amiga. Bjs, Fernanda Mello.

    ResponderExcluir
  10. Puxa....parece até que foi pra mim. Perfeito o texto, exatamente assim que me sinto.É horrível estar só.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  11. Pecas,

    Encontrei e fui encontrada lá do outro lado do mundo, qd menos esperava.
    Bom mesmo é parar de procurar, se passou é pq ñ era...
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Caraca!!

    Melhor post sem dúvidas!!

    Acho que nunca comentei aqui, sei lá porque, embora acompanhe o blog há um tempinho.
    Adoro muito muito e já fiz propaganda pra um monte de amiga!
    Você é excelente, Natália!

    Esse post então não dá margem a dúvidas!

    =D

    ResponderExcluir
  13. é incrível como vc conseguiu expressar coomo eu me sinto.. eu faço extaamente a msm coisa qnd saio, é inevitável.. é automatico.. daí qnd percebo, too fazendo! Muito boom! Bjobjoo

    ResponderExcluir
  14. Espero que um sujeito bacana, generoso e de consideravel condição financeira possa te encontrar. Dai é só casar, ter filhos e faze-los crescer. Ah, e claro, contemplar seu principe engordar consideravelmente a base de cerveja. Por outro lado tambem tem na praça os solteiroes grisalhos de meia-idade, mas esses estão mais para conquistadores cafajestes e requintados...rs

    ResponderExcluir
  15. Um amigo tem uma música em que ele fala de uma separação e termina com "Fiquei com medo de fechar a porta e perder algum detalhe".
    Os dias fogem como cavalos selvagens descendo a colina. Algo muito bom, possibilidades, podem estar se misturando nos vultos, se perdendo nos vãos, nos entreatos.
    A felicidade pode bater à nossa porta. Mas pode bater bem de mansinho.
    bjs
    LJ

    ResponderExcluir
  16. Gostei... Foi sensível, sem muito apelo humorístico. Gostei.

    ResponderExcluir
  17. ... Agora só resta tocar um tango argentino...
    Vou parar de ver novela! hahahahaha

    ResponderExcluir
  18. Os homens é quem procuram, nós esperamos, fingindo que nao esperamos. E quanto mais ansiosa ficar, pior será. Só ainda nao aprendi como não ficar ansiosa, mas to no caminho.

    ResponderExcluir
  19. é... exatamente, Natalia, exatamente. eu fiz a minha parte. depois de tentar no colégio, no curso de inglês, na faculdade, encontrar vários errados, fui muito longe buscar, em vários lugares. tipo, vários. praias do Nordeste. ilhas gregas, várias delas, tipo, várias, por causa daquele filme Shirley Valentine. fui até aquela praia em forma de meia lua, chamada Navagio. três vezes. fui à Irlanda, ele podia ser um druida. ou leprechaun. fui à Paris, que aliás me odeia, é sempre ruim lá, bem ruim, tipo... acho que eu invadi Paris em alguma vida passada e alguém cortou meus pés, meus pés sempre doem. tipo... mesmo. fui a Londres, andei pela rua sozinha, peguei ônibus. nada. fui à Escócia, por causa de Braveheart e dos livros da série Outlander da Diana Gabaldon, até a conheci, por lá. fui às Highlands, fui às Lowlands. andei sozinha por Edinburgo, tomei guinness sozinha nos pubs à noite. e nada. voltei. tentei até a Lapa. festa underground no Cine Iris. Bukovsky, as três sedes, até o que tinha a escada da Nazaré. é. bati na porta da Providência e plasmei meu companheiro perfeito, perfeito pra mim e me fiz disponível, nacional e internacionalmente. fui até pro mundo virtual... minha terapeuta disse que eu plasmei na sombra e consegui exatamente o que pedi. e me fudi. no momento acho que fui encontrada. ou nos encontramos no meio do caminho. não ouvi a frase que sempre desejei "por que você demorou tanto?" mas já ouvi várias vezes "você devia ter me conhecido antes, nada disso teria acontecido." e estou gostando. zero drama.

    ResponderExcluir
  20. Cara... to apaixonado feat louco compulsivo pelo seu blog. Tá, pela série inteira também... Táa.. já vi umas trocentas vezes a série.. Enfim... Esse fragmento, esse texto, bem poderia virar uma cena... Você sentada no metrô e do lado um cara lendo jornal e vc tenta ver se ele é o cara, no metro, olhando com os olhos esbugalhados a procura, enfim... seria interessante... Pensa nisso.
    Um beijo..
    Antonio

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira