natalia

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Rapidinhas da Psicótica


Há algum tempo eu queimei feio o céu da boca. Mal conseguia comer depois daquilo, doía muito. E continuou doendo por dias e dias.
Até que passou.
Não sei quando exatamente deixou de doer, perdi esse momento. Mas hoje eu me dei conta de que consigo comer o que eu quiser, sem qualquer resquício do que sentia antes.

Deve ser mais ou menos assim com a vida afetiva, não?

21 comentários:

  1. Eu espero que seja assim mesmo porque o meu "céu da boca" está queimado a muito, muito tempo! Eu até consigo "comer outras coisas" mas...ele continua ali, irritado e me incomodando...

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkk
    Ótima analogia!
    Só que comigo é um pouco diferente, não sei se por causa da minha gulodice (que explica apelido, blog e tudo o mais) mas eu mesmo com o céu da boca queimado como tudo o que me der na cuca, e adorando, mesmo com a dorzinha!
    Seria muito devasso analisar a analogia sob este prisma...

    ResponderExcluir
  3. HAHAHAHAHAHAHAHA

    com a vida afetiva dos homens, com certeza!

    ResponderExcluir
  4. Oi , soube da existência do seu blog através da Hora do Blush.
    Acho um barato as coisas que você escreve, parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Ahhh acho q é assim mesmo, quando a gente menos espera a dor já foi!!!!!!
    Adorei passar por aqui e conhecer esta delícia de blog!!!!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  6. Ah, mas é assim. Com a diferença que é certeza que o prejuízo com a queimadura é menor, considerando que ela te levou não só arrebentou seus sentimentos, mas também sua conta bancária, seu trabalho e o seu melhor amigo para uma suruba com a vizinha gostosa dela.

    ResponderExcluir
  7. é isso mesmo...mas é preciso cuidado com danos irreversiveis nas papilas gustativas e não pérder tempo com qualquer paladar

    ResponderExcluir
  8. aaah .. céu da boca queimado irrita muito, né ?hhahua

    ResponderExcluir
  9. Queimar o céu da boca ainda é suportável. Ruim é quando alguem queima a lingua

    ResponderExcluir
  10. Pior é quando você sabe que vai se queimar e mesmo assim vai lá e come!

    ResponderExcluir
  11. Sim, é assim. Quando deixamos de pensar em algo naturalmente essa coisa vai embora, passa. O problema é quando "pensamos em não pensar". Daí complica. rs

    ResponderExcluir
  12. Aiii venho sempreeeeee aqui! Mas nunca comentei! Acho!
    É bem assim né?! Dói mas quando a gente vê não doi mais!
    Juro que vc ia falar algo relacionado ao sexo anal!! hahahahaha!!! Brincadeirinha!!

    Amei essa analogia!!

    Beijo vc é DEMAIS!!

    ResponderExcluir
  13. Oi gostaria que conhecesse o meu blog sobre a minha jornada pessoal com a síndrome do pânico, desde já agradeço a visita, até mais.

    ResponderExcluir
  14. Lógico que com a vida afetiva é assim! Talvez a contagem do tempo seja diferente, mas depois que sara, sara e pronto! Ótimo texto, como sempre!!!

    ResponderExcluir
  15. É assim mesmo.
    (Engraçado que isso só acontece com mulher, parece que homem tem céu da boca leproso.)

    ResponderExcluir
  16. Querida Natalia, o pior é que, quando o tempo passa, a gente constata que não é que parou de doer, mas a gente é que parou de sentir ...

    ResponderExcluir
  17. Deveria ser sim... Mas acho q a viada afetiva é muito parecido! O céu da minha boca está queimado agora mesmo...e não vejo a hora de sarar isso tudo!!!!

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira