natalia

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A ética do flerte


Eu estava esperando para atravessar rua - por alguma razão, várias coisas me acontecem enquanto estou esperando para atravessar a rua - quando um cara muito gato parou do meu lado.
Virei discretamente o rosto em sua direção e percebi que ele também estava me olhando. Sorri, constrangida, e voltei a olhar para frente.
Foi quando, do meu outro lado, parou um cara ainda mais gato. Fiquei confusa com tanta informação e, sem saber para que lado olhar, permaneci encarando fixamente o sinal dos pedestres.
"Como assim?", perguntou Juliana, indignada. "Olhasse pros dois!"
"Ah, não. Aí seria ridículo", repliquei, em minha defesa.
"Ridículo por quê? Os homens fazem isso o tempo todo", ela rebateu.
"Eu sei! E a gente acha ridículo!"
"É ridículo quando eles fazem com a gente. Quando a gente faz com os outros é técnica", argumentou.
"Eu entendo o que você tá falando, só não acho ético."
"Ético?", repetiu, rindo. "Como assim, você tem uma ética do flerte?"
"Tenho", respondi, rindo também. "Existe uma ética do flerte, tá bom? Você não pode olhar pra alguém, deixar ele te olhar de volta, admitir o fato de que os dois estão se olhando e depois mudar de ideia só porque chegou alguém melhor."
"Por que não?"
"Porque é sacanagem! Existe um acordo que se firma durante a troca de olhares. É um pacto velado que diz 'eu estou de olho em você e vice-versa'. Depois que você firma esse pacto, já era. Pensasse melhor antes."
"Mas existem brechas. Você pode burlar a regra."
"Poder pode. O jeito clássico é esperar o cara ir ao banheiro e aproveitar a deixa para flertar com outro. Assim, o primeiro vai ficar confuso achando que a culpa é dele porque escolheu o momento errado pra mijar."
"Gênia."
"Eu sei. Mas isso não é certo. Não é legal ser trocada no meio do flerte. Já aconteceu comigo uma vez. Estava numa boate com uma amiga mais bonita, o que é um erro. É sempre bom levar uma mais ou menos nessas ocasiões", expliquei. "Enfim, ela tinha ido comprar bebida e eu fiquei sozinha na pista, quando um cara chegou em mim. Conversamos rapidamente, aquele papo de sempre, que não leva a lugar nenhum e que você provavelmente vai esquecer dois minutos depois, quando estiver sem-graça e perguntar 'ei, qual é mesmo seu nome?".
"Mas e aí? O que aconteceu?"
"Minha amiga voltou com as bebidas. Então ele olhou pra ela e fez aquela cara."
"Que cara?"
"Aquela cara. Tipo, 'humm, merda, cheguei na amiga errada; se tivesse esperado dois minutos eu pegaria a mais bonita.'"
"Ai, que ridículo!"
"Eu sei! Eu vi na hora! Foi sutil, mas eu vi ! E aí ele tentou continuar o papo, como se nada tivesse acontecido, mas eu cortei logo. Disse 'vem cá, amigo, você acha que eu não percebi que você fez aquela cara?"
Juliana riu.
"No fim das contas ele não ficou comigo nem com a minha amiga. Eu ainda vi o ridículo tentando chegar em mais umas meninas. Às três e meia ele arrumou uma peguete derrota e os dois estavam frenéticos no canto da parede."
"E você?"
"Não peguei ninguém, pra variar. Mas o que vale é a ética."

11 comentários:

  1. Opa! de ética eu tambem entendo! Até porque no caso do homem, a etica costuma ser somar o maximo possivel, principalmente em relação a garotas. É como agregar tudo o que nos satisfaz. Já no caso das garotas, eu apenas arriscaria dizer ser mais comum o uso da escolha em relação as paqueras. Ou um ou outro. E eu nem imagino nesse caso como manter a etica deva ser dificil!

    ResponderExcluir
  2. adorei... pelo menos na paquera existe ética! Bjs

    ResponderExcluir
  3. me passa o nome dessa rua, ou melhor, as redondezas deste sinal luminoso...beijos, como sempre ri muito!!!

    ResponderExcluir
  4. Cara, seu blog é sensacional.

    Venho aqui pra me sentir compreendida.

    ResponderExcluir
  5. Ética sempre. Muito bom o Blog. Acho que venho aqui pra tentar compreender esse grande mistério que é o mundo de vocês; não sei se conseguirei, mas pelo menos dou boas risadas com teus textos. hahahahahhaha

    http://marcostrauss.blogspot.com/
    http://subestacao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. susahsuhsuhauashusahasuhsauhasusahusah

    eu tbm penso assim, uhasuhsasa, pensava que era a única

    é como se eu tivesse traindo o cara, sei lá

    ia me sentir o ultimo ser humano na face da terra se o gatão parasse de me olhar pra olhar minha amiga, ou a mulher do lado

    nunca é bom, né?

    ética sempre

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira