natalia

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Vai tomar no karma!


Eu sou uma boa pessoa. Faço trabalhos voluntários, não desperdiço água, pago minhas contas em dia. Tá, eu sei, eu não faço nada disso. Especialmente a última parte. Mas eu sou uma boa amiga. Sou generosa. Dou bons presentes. Sempre me preocupei mais com os sentimentos dos outros do que com os meus próprios - salvo raríssimas exceções que me enchem culpa até hoje.
Então a pergunta que não me sai da cabeça é: "Cadê-a-porra-do-karma?" Ele existe? Por que não dá as caras pra mim, nunca? Tá bom, nunca é um exagero. Mas, sério. Não sou invejosa. Quero que todo mundo seja feliz (ok, todo mundo menos uma lista de doze pessoas que merecem o sofrimento eterno). Só que agora eu vou dizer uma coisa que vai soar como um argumento de uma criança de cinco anos fazendo bico:
E eu?
Sério. E eu? Há tempos que eu fico feliz pelos outros. Quando é que eu vou poder ficar feliz por mim?
Posso não ser a melhor amiga ou a melhor filha do mundo. Posso não dar esmola aos desabrigados. Posso, inclusive, chegar a ofendê-los um pouco quando eles passam de pedintes a insistentes. Posso, acidentalmente, chutar crianças no shopping. Posso sentir um prazer sádico ao ver o povo queimando os pés na areia escaldante da praia de Copacabana. Posso ser horrível às vezes, especialmente pela manhã, antes de tomar café. Mas eu sou uma boa pessoa. E já estou ficando de saco cheio de nunca ser recompensada.

14 comentários:

  1. Aii q malvada! chutar crianças no shopping não pooode! Maybe um beliscão disfarçado!!!rs..

    ResponderExcluir
  2. No dia que eu descobri o blog, eu passei a madruga inteirinha relendo todos os arquivos.
    São sempre ótimos, divertidos e psicóticos.
    Mas esse me ganhou de vez!
    Tá aí sem tirar, nem por exatamente como me sinto.
    VAI TOMAR NO KARMA!

    ResponderExcluir
  3. sabe, vc tem razao. CADE O KARMA ?

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Moça, presta atenção, esse é o seu carma. Proporcionar ou participar da felicidade alheia.
    Você deve ter feito algo muito feio na vida passada, ou então ter sido aquelas pessoas insuportavelmente sortudas que num se deu conta de que era. Aí agora tá tendo que pagar a conta da incarnação passada, na pele de uma mega azarada... hehehehe
    mas vamos ser otimistas... vai que é só uma fase boba... de 30 e poucos anos...
    rsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Calma, calma. É foda sentir-se não recompensada, principalmente quando você é uma pessoa legal, mas pensando bem, o que você deseja exatamente?
    Às vezes somos ansiosos mesmo, queremos o bonitão gostosão, rico, inteligente, emprego e salário generoso, amigos fiéis e esquecemos as pequenas conquistas. Esclareço que não pertenço a nenhuma seita, sou agnóstica! rsrs. Mas flor, olha quanta gente curte as coisas que vc escreve, e que certamente tomaria uma cerveza e contaria seus segredos a você. E sabe por quê? Porque já te temos como uma amiga, é ou não é galera?
    Por experiência própria, não gaste energia procurando o tal cara, ele não vai aparecer. Ou até vai, mas será o cara errado. As melhores coisas que acontecem na nossa vida vem com serenidade. E fala sério, você tem apenas 25 anos! Vamos menina, que mané karma nada, bola pra frente e tenha um ótimo 2010, cheio de boas surpresas.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. Mari B,
    Não foi de propósito. Juro. Nenhuma das três vezes.

    Claudia,
    Fico feliz por você ter se identificado. E meio chateada porque sei que é um saco se sentir assim. Mas ah. 2010 vai ser melhor. Dizem.

    Betina,
    Brigada! Beijocas.

    Mih,
    Né? Deve estar escondido junto com meu auto-respeito e a minha dignidade. Mas eu só vou procurar na Páscoa, junto com os ovinhos. Até porque, depois do carnaval só tende a piorar. Dizem também.

    Mariana Araújo,
    Nossa. Valeu pela força, hein, colega. Também te adoro. Tudo de bom em 2010... Mas dorme com um olho aberto, tá? Nunca se sabe quem pode entrar com uma faca.

    Michele,
    Obrigada. É que eu fiquei meio chocada depois de receber uma notícia chatinha. Não pude conter minha indignação com o status quo do universo e como ele não anda me beneficiando. E o pior é que o cara não é nem rico nem bonitão nem gostosão. Só babacão mesmo.

    Beijocas a todas! Um ótimo 2010!

    ResponderExcluir
  7. Nós somos o nosso próprio karma.
    Nós somos o nosso próprio encosto.

    Recompensa-te a ti mesma. E goze gostoooooso!

    Beijo, linda. Um ótimo 2010, com muitas self-rewards. Elas são merecidas, eu agarântio.

    ResponderExcluir
  8. CARA!!! Me identifico demais com as coisas que vc escreve, quase eu!!!!

    ResponderExcluir
  9. Fantástico. Bom saber que não estou só procurando por esse tal de karma que tb nem me faz uma visitinha...

    ResponderExcluir
  10. Depois de ler teu texto, e me identificar com cada palavra e pontuação, só consigo pensar em uma coisa:
    "CADÊ-A-PORRA-DO-KARMA?" ??????

    Beijos e parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  11. quétinganá não, mas o karma tá bem aí. é, do seu lado. à sua volta. pra ser mais específica, você está vivendo imersa no seu karma. parafraseando o Nelson, você não sabe porque está apanhando, mas ele, não o Nelson, o karma, sabe porque está batendo. nesses momentos em que nos sentimos vítimas do universo, na hora em que a madre superiora diria, "agora fudeu", não adianta clamar aos céus "why? WHYYYYYYYYYY?". se alguma coisa não está indo bem, provavelmente você mereceu. calma, já, já explico. viemos da crença judaico-cristã que vincula bondade e recompensa. isso, não acontece, desculpe. a pergunta a fazer é O QUE PRECISO APRENDER COM ISSO? que padrões estéreis e limitantes venho repetindo automaticamente? o que não estou percebendo? por que não percebo os sinais? isso porque merecimento não significa castigo ou recompensa. significa assumir a responsabilidade por nossas ações e aprender com isso. evoluir. romper os padrões. mudar o paradigma. porque é inútil e estúpido fazer a mesma coisa e esperar um resultado diferente, né? vale chorar de tristeza, faz parte. não vale cultivar a raiva, o Dalai Lama disse que a raiva é a única emoção que cresce exponencialmente (isso eu NÃO li na internet, ok). vale pedir colo. e tentar entender. não com a mente que mente descaradamente (protegido por copyright), mas com o eu verdadeiro. aí então pode ser que venha o DHARMA, esse sim é o do bom, esse é que dá o alívio, uff, passei. por enquanto estamos todos no mesmo barco-planeta, cenário da peça com roteiro complexo e várias tramas que é nossa vida ordinária. o karma tem uma coisa boa, verdade! ele nos ensina a responsabilidade, mas também a compaixão, que é só um nome menos gasto pra amor. e ponto.

    ResponderExcluir
  12. Talvez isso possa te dizer onde está a porra da recompensa kármica.
    --->

    Foi dito «Pare de fazer o mal; aprenda a fazer o bem"; mas a hora chega em que nos devemos dar conta de que na abstinência do mal e na perseguição do bem há um egoísmo inerente. "Torna-se aparente para mim que estou fazendo o bem para que eu possa colher seus benefícios - sejam eles uma forma de respeito crescente pelos outros ou simplesmente por mim mesmo. Estou trabalhando e lutando para que possa ir para o céu - seja este céu um mundo além da morte povoado por anjos que tocam harpas, ou seja ele um estado de bem-estar e auto-satisfação nesta vida." É neste ponto que a prática de "transferência de mérito" deve ser desenvolvida, O budista aprende a desejar que os benefícios de suas boas ações retornem não apenas para ele, mas para toda a humanidade. Cada ato de generosidade, cada ato de amor não deverá mais somar-se à minha conta pessoal, mas sim ao benefício de todos. Mais precisamente como uma corrente que alimenta o oceano e que não é reabastecida pela mesma água, porque a água não flui de volta para ela, mas, com o correr do tempo, pela queda das chuvas.

    A prática de transferência de mérito é uma tarefa difícil de se realizar; os obstáculos são muitos e sutilmente disfarçados, embora seja um conceito que muitos de nós deveriam levar em consideração.

    http://www.nossacasa.net/shunya/default.asp?menu=1272

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira