natalia

terça-feira, 26 de junho de 2012

Obrigada por nada


Não acredito em coisa alguma que venha do nada. Tudo o que eu conheço que veio do nada resultou em catástrofe, como o Restart, o Padre Marcelo Rossi e o próprio Big Bang, que deu origem à nossa existência e todas as outras coisas desagradáveis que vieram junto com ela. Como o Restart e o Padre Marcelo Rossi.
É uma questão estatística. Até a presente data, nada de bom ou útil me aconteceu do nada. Ao contrário, todos os eventos que se sucederam comigo, mesmo os que terminaram bem, sempre ocorreram de maneira a esgotar todas as possibilidades de vergonha alheia, humilhação e autopiedade. Não creio que possa contar uma única história sobre como algo muito incrível me aconteceu do nada e acabou muito bem.
A escola, por exemplo, foi uma das experiências mais traumáticas e abomináveis da minha vida. Não que eu me ache assim tão especial. Tenho consciência de que esse é um período difícil para a maioria das pessoas. Mas quando passamos por uma situação adversa, nosso instinto de sobrevivência nos leva a assumir uma postura defensiva. Camaleões mudam de cor, insetos se fingem de mortos, alguns peixes até mudam de sexo - o que deve ter menos a ver com mecanismo de defesa do que com o fato de serem umas bichonas -, e tudo isso é feito com o único e imprescindível intuito de não ser notado.
Só que fica difícil não ser notada quando você tem o dobro da altura de todas as crianças da sua turma - juntas -, usa um par de óculos horrendo, aparelho nos dentes, e seu cabelo pode ser confundido com um criadouro de gambás. Minha mãe, preocupada que sempre foi com minha noção de pertencimento, decidiu me tirar aos nove anos da escola judaica, onde todos eram tão geneticamente desfavorecidos quanto eu, e me matriculou em um colégio onde eu não conhecia ninguém.
Minha mãe diz que não queria que eu fosse educada dentro de um sistema de ensino religioso. Assim sendo, ela me pôs em uma escola adventista. Poderia ter sido um colégio laico, mas não. E, para garantir que eu não receberia nenhum tipo de ensinamento bíblico, ela fez questão de que me retirassem da sala durante as aulas de religião. Porque não bastava que eu fosse uma anomalia grotesca de altura desproporcional e cabelos medonhos. Eu também precisava ser o Anticristo.
Foi preciso algum tempo para que eu finalmente me encaixasse nos parâmetros estéticos da sociedade, o que só prova que nenhum evento bem sucedido na minha vida aconteceu do nada. Inclusive - e principalmente - na minha vida amorosa. As experiências anteriores me mostram que nada de muito interessante pode me ocorrer sem que, necessariamente, eu tenha que passar por todo aquele caminho tortuoso de vergonha alheia, humilhação e autopiedade - como foi minha passagem pela escola.
Do nada, se sucederam as piores tragédias da História da Humanidade, incluindo a ascensão de Hitler, o Restart, os fãs do Restart, o padre Marcelo Rossi e, principalmente, minha vida amorosa. Do nada, eu só posso antecipar uma jornada frustrante de volta ao ponto inicial. Do nada, eu não espero mais coisa alguma. E é aí que reside a grande ironia. Porque quando não se espera nada, absolutamente nada, alguma coisa sempre acontece.

133 comentários:

  1. Eu espero...é do nada que nascem as melhores coisas guria,rsrsrs...tenha a certeza.Porquê é de qdo não esperamos ...que...BOOOM!!!!...acontece....seja lá o que for,rs...se ansiamos muito...não acontece...e aí é só frustração.Abção,cuide-se manina.

    ResponderExcluir
  2. P.S.:"MANINA"...do hebraico:menina,Hehehehehe!

    ResponderExcluir
  3. Realmente quando não se espera nada, alguma coisa acontece, pena que na minha vida, é algo de ruim essa coisa. Mas eu não desanimo, um dia vou achar meu cara mais ou menos

    ResponderExcluir
  4. A escola é um inferno para algumas pessoas, e foi na minha.... mas um dia eu ainda vou poder dizer que ela resultou em algo de muito bom na minha vida... someday, rs.

    ResponderExcluir
  5. esse otimismo mata né, Natalia..

    ResponderExcluir
  6. Faltou a tradicional música do final do post.
    E citar a pior coisa que aconteceu do nada:
    Um dia, sem mais nem menos, alguém disse pra Xuxa que ela deveria cantar...o resto é história!
    Aliás, ótimo texto, do latim "ilari-lariê"!

    ResponderExcluir
  7. Olha, eu também tinha (tenho!) o dobro do tamanho dos meus coleguinhas, eu não usava óculos, eu usava um treco chamado telelupa (um binoculo óculos) e meu cabelo era cortado curto e ficava em pé...

    Tudo isso pra dizer, gata, que eu provavelmente passei por coisas bem semelhantes a você!

    Ah! E enquanto eu estudava num colégio cheio de gente careta minha família morava numa comunidade Hippie-hareKrishna e não raro eu aparecia na escola vestida de seguidora do Hinri Cristo.. ou coisa pior..

    Sera que eh por isso que eu te adoro?

    Alias, porque ainda não da para ver os episódios da terceira temporada? Eu moro fora do Brasil, eh seu canal do Youtube que me salva...

    ResponderExcluir
  8. Olá! Espero que surjam mais e mais textos psicóticos. Acompanho seu blog e sua série no Multishow desde o início, e sinceramente, gosto e invejo muito!
    Sei que não mereço sua atenção, mas caso não tenha mais nada pra fazer quando estiver lendo esta mensagem, dá uma entradinha em meu blog: www.ladraodebibliotecas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. o que mais me irrita nos seus textos, desde o início do blog, é que eu me identifico com eles mais do que eu gostaruia.

    ResponderExcluir
  10. Adorei o post! Realmente as coisas que 'vem do nada' sempre são ruins... Me indentifico muito com os textos! Será que estou virando psicótico?! rsrs

    ResponderExcluir
  11. o que mais me irrita nos seus textos, desde o início do blog, é que eu me identifico com eles mais do que eu gostaruia.²

    Nem irrita na verdade... ahahha pelo menos não estamos sós no mundo, todo mundo é um psicotico embutido...

    ResponderExcluir
  12. Meu Deus, como pode? Sou eu aí! Tenho "só" 1,86 de altura, na época de colégio usava óculos azuis redondos e grandes, aparelho fixo nos dentes e até os 9 anos, eu usava cabelo Joãozinho pq minha mãe que tem aqueles cabelos q nunca precisaram ver condicionador, só shampoo, nunca soube o que fazer com aquela juba indomável de dar inveja ao Rei Leão herdada da família do meu pai. Mas, a natureza é sábia e observando a lei da sobrevivência, me ensinou a ser legalzinha e assim, embora eu nao encaixasse nem um pouco na turma das bonitinhas da sala, fui ganhando empatia e amigos e assim o bullying deixou de existir. Devo agradecer tbm ao inventor das lentes de contato e da escova progressiva, sem eles minha vida não seria nada.
    Continuo chamando mega atenção pela máxima altura, mesmo tendo jogado vôlei e encontrado pessoas parecidas comigo, no mundo normal, mulheres do meu tamanho assustam muito. Mas, ainda que eu tenha que ter uma paciência de Jó, pq 99% das pessoas que me vêem pela primeira vez invariavelmente vão comentar da minha altura, já ri muito das situações que já passei e tenho muita história pra contar sobre isso. E ainda tem outra vantagem: conseguir chamar atenção do bonitão da balada sem ter que fazer nenhum esforço pq a nossa visão é panorâmica. :)
    Não costumo tietar ninguém, mas vc realmente é foda! Me vejo totalmente em seus textos! Mais sucesso pra vc, sempre!

    ResponderExcluir
  13. Esse texto veio em um momento propício.

    ResponderExcluir
  14. Sim, é um fato. Eu também não fico pré-determinada pelo acaso, nunca. Aliás, morro de medo de ficar marcada das situações que surgem do nada. Mas acredito que minha timidez de hoje em tudo se compara ao fato de eu ter sido uma criança desprezada pelos coleguinhas e professores do prézinho.
    Vou ali pagar a conta do analista pra nunca mais ter que saber quem eu sou e já volto.

    ResponderExcluir
  15. Lacan usa o termo DEVASTAÇÃO pra falar sobre a relação entre mãe e filha. Não podemos dizer que ele não tem razão.

    ResponderExcluir
  16. Natália você é maravilhosa, apesar dos seus traumas de infância, estou aqui morrendo de rir com o texto, impressionante sua capacidade de passar tanto humor e personalidade nas coisas que escreve. Quando crescer quero ser assim! Acordei triste e em crise por estar fazendo aniversário hoje, mas só pelo fato de você resolver postar logo hoje e algo tão engraçado e que ao mesmo tempo faz tanto sentido, já mudou meu dia para melhor.
    Parabéns pelo seu talento, muito sucesso e continue nos agraciando com esses seus textos/impressões tão divertidas e verdadeiras.

    ResponderExcluir
  17. Definitivamente iguais em várias questões. Estou passando por um processo de transição profissional que ja vem se arrastando a quase um ano. Várias coisas aconteceram, boas e ruins, e eu não estou feliz. Não ainda, mas acredito que as novas páginas deste capítulo possam me trazer um novo motivo pra sorrir. Contudo até que haja permissão para essa manifestação de alegria, tenho ainda que me resolver com pendências atuais não tão agradáveis. Minha vida na escola como a de muitos garotos gays, foi a pior fase da minha vida, toda essa tragédia que hoje em dia denominada como bullying acontece a muito, muito tempo. Mas muito tempo mesmo. Eu ja deixei de sofrer todos os tipos de agressões físicas e psicológicas a partir do momento em que eu mesmo deixei de me torturar e me aceitei como sou de fato, como nasci enfim. Pois bem quanto a vida amorosa, prefiro não retratar muito, alias, não tenho muito o que dizer também, esta é mais penosa do que as aparições do RESTART. arrepioscullen.blogspot.com KISS

    ResponderExcluir
  18. Natália, veja o antes e depois Denise com 4 anos e Denise com 30 anos no meu blog: http://www.causosdedenise.blogspot.com.br/2012/06/hoje-e-dia-de-sao-joao.html. Nesta foto eu estava sem meu óculos fundo de garrafa!
    O TEMPO FAZ A GENTE MELHOR! Beijão!

    ResponderExcluir
  19. A grande verdade sobre isso tudo é que nunca saberemos a razão do excesso de importância que as pessoas se dão. Cada um deveria se dar a falta de importância que merece. Nos sentimos nada em meio a coisa nenhuma, mas o que pode ser mais assustador é que algumas pessoas realmente acreditam e se acham no direito de fazer com que nos sintamos menores ainda que sejamos mais altos. Nossos problemas nunca serão suficientemente bons para satisfazer o desejo sádico de alguns. É uma pena. O nada também transforma e as suas razões são desnecessárias porque estamos muito preocupados com o tudo que nos exclui.

    ResponderExcluir
  20. Muita verdade! Sempre que eu estou esperando que nada aconteça, alguma coisa ruim acontece kkk Mas eu desenvolvi uma autodefesa: sempre esperar coisas ruins. Assim nada ruim acontece :)

    ResponderExcluir
  21. Persona, é o seguinte, um ex-namorado meu (lógico) há tempos que insistia pra eu assistir o seu programa, mandava links e mais links do youtube e eu não entendia nada (moro fora há 5 anos e estou "livre" da televisão brasileira desde então) até que assisti tudo de uma só vez (pq é impossível parar de ver) e entendi tudo. Acabei viciando várias (tipo, várias) outras pessoas e só agora descobri que tem uma terceira temporada rolando, mas infelizmente não está disponível na internet. Então, persona querida, o que eu quero dizer é que, por este motivo, adoráveis compatriotas seus espalhados pelo mundo, como eu, seguem intocados pela continuação de suas psicoaventuras. Será que não dá pra disponibilizar isso em algum lugar, não? (sorriso pedinte com elevação de sobrancelhas) Não precisa ser você, você mesma, a colocar, pra não dar problema e tals... Podia ser, sei lá, um alter-ego qualquer (aquele sorriso de novo, ainda mais enfático). Heim, heim? Hã?

    ResponderExcluir
  22. Pois é ..do nada as coisas se iniciam e do nada terminam...será que o nada é o tudo?!

    ResponderExcluir
  23. compartilho o desejo da Amana: será que não dá pra disponibilizar a terceira temporada pros telespectadores espalhados pelo mundo afora? hein? hein?

    ResponderExcluir
  24. Pois comigo é muito parecido, principalmente na parte amorosa hehe. Triste verdade.
    Muito bom, como sempre!

    ResponderExcluir
  25. nunca fui a mais alta, sempre fui a maais baixa haha porém uma baixinha, com cabelo cacheado, cortado como o de um menino ja çe motivo pra boas piadas. A escola nao fo algo taao crel assim cmg, so ate o ensino medio, depois disso fiquei mais normalzinha, mas ainda cheia de apelidos como pintor de roda pé e por ae vaai HAHA.
    Muito bom msmo o texto, cmo tds né :)

    ResponderExcluir
  26. "Do nada, eu não espero mais coisa alguma. E é aí que reside a grande ironia. Porque quando não se espera nada, absolutamente nada, alguma coisa sempre acontece".


    Aliás, aproveitando o texto de Natália Klein, poderia dizer que essa é a filosofia de vida ideal para nossos tempos. Digo nossos tempos por que, deixamos de adorar uma pedra, para adorar uma divindade, depois a adoração do Homem e agora é a era do cada um se adora.

    Parece e é um saudosismo das épocas onde a garantia era somente a palavra e que a honra e a hombridade eram coisas com as quais podia se contar (nem que fosse nas aparências. Mas mesmo assim, garantidas pela palavra).

    Agora cada um é seu próprio planeta, com seus satélites a rodar em torno do próprio umbigo. E nem pensem em alteridade. Os satélites aos quais me refiro, são invenções da mente de cada planeta humano. Não são as vidas dos outros que, por acaso, estão nas proximidades.

    Aliás, alteridade é coisa para o dicionário, para militantes de psicologias holísticas orgânicas ou coisa para saudosistas que acham que um dia as pessoas foram capazes de ser.

    Digo, capazes de "ser" para não dizer "corresponder às expectativas". Este depende do outro e do que o outro acha que outrem é ou pode ser. Quando falo das pessoas que foram capazes de ser, falo daqueles e aquelas pessoas realmente autênticas, razoavelmente coerentes e cujas palavras têm a força da autoridade reconhecida. Para estas, não haveria necessidade de expectativa, não por serem previsíveis, mas por serem reais, verdadeiras e quase nada dissimuladas. Mas isso é história para o passado. História, afinal.

    Agora, nesse segundo, em meu planeta Valdo rodam alguns satélites imaginários. Irreais ou não, não vem ao caso. Desses satélites ou de mim, não espero nada. Eu sei por que eu sou. Fora de mim, o que existe é um espaço vazio cheio de gentes preocupadas com os próprios satélites, absortas a tal ponto que não podem perceber a existencia de vida fora delas. Ou mesmo para se prevenir de possíveis choques planetários.

    Deste outro planeta que voa ao meu, ao seu lado, não há o que esperar. Por isso, Natália Klein está certa em dizer que o melhor é esperar nada. Se algo vai efetivamente acontecer, não adianta esperar. Melhor é esperar que não aconteça nada sempre. Melhor caminho contra uma órbita de decepção. Se o outro existe, que circule então por seu individualismo exacerbado por uma cultura do eu. Afinal, quem é o mais importante? Eu. Tanto é, que, por exemplo, o pronome eu, é escrito sempre com letra maiúscula. "EU". Não há nada além de mim. Vivemos no mesmo espaço, mas flutuamos sozinhos nessa galáxia terrestre. Morreremos sozinhos, acompanhados dos vermes satélites que comerão nossa carne.

    Desses podemos esperar que nos vejam e, mesmo que póstumas, nossas expectativas serão satisfeitas, tanto quanto a deles, que se deliciarão em nossa carne nada individualista à sete palmos.

    Valdo, a partir de Natália Klein

    ResponderExcluir
  27. Natalia, mais um post excelente, para variar! =D

    Pura catarse sua história!
    Pensando bem, deveríamos ficar felizes de termos sido tão estranhos durante a fase escolar (ok, no meu caso até hoje), certamente se tivéssemos sido os bonitinhos/certinhos/socialmente aceitos não teríamos desenvolvido uma visão tão crítica desse período, iríamos ser mais um daqueles que celebram a nostalgia piegas de falar que os anos da infância são maravilhosos, intocáveis e esquecem de todas as aflições e conflitos que surgem nessa idade, e que nos acompanham até hoje.

    Sem querer bancar o psiquiatra, mas acho que ter sido tão diferente durante esses anos iniciais de construção de identidade explica muito quem você é hoje. Essa contribuição da infância fica clara ao notar o valor que você dá às coisas que te tornam diferente (embora talvez você nem se dê conta), a questão é que essas coisas não são mais os óculos horrendos, o aparelho nos dentes e o criadouro de gambás, elas foram substituídas pelas suas atuais "psicoses" e a forma bastante peculiar com que você se relaciona com o mundo e narra com grande talento aqui.

    Faço o mesmo pedido da colega semi-estrangeira ali de cima, teria como o nosso querido "ZingoSchneider" disponibilizar os primeiros episódios da 3ª temporada?
    Infelizmente não consegui acompanhar os primeiros episódios dessa temporada na tv e como a Multishow não reprisa episódios mais antigos, seus fãs ficam numa situação difícil.

    Ah, e começei a acompanhar a sua jornada há umas 3 semanas. Se tiver um IP muito repetitivo aí no sistema, a culpa é minha, provavelmente.
    Vi tb que já te chamaram de Tina Fey brasileira, o que acho muito justo.
    Mas você também tem um humor semelhante ao da Lorelai Gilmore, personagem da Lauren Graham em "Gilmore Girls", não sei se você já viu, mas acho super válido dar uma olhada, até a questão de altura bate.

    É isso, apesar dessas minhas comparações e elogios genéricos, aquele garotinha alta e de cabelo estranho te trouxe um presente insetimável: o privilégio de ser única.
    Parabéns. bjs

    ResponderExcluir
  28. Quantos comentários extensos! Hehehe... Mas li alguns e acho incrivel quantas pessoas, alem de mim, se identificam com vc. Seus textos fazem eu me sentir menos solitária! Se tiver um tempo, passa lá no meu. Acabei de ter uma epifania! hahaha http://borboletaseterremotos.blogspot.com.br
    Beijos Natália, adoro vc!!!!!

    ResponderExcluir
  29. Obrigada a todos pelos comentários, sempre leio tudo.

    Mas deixo uma dica aos desavisados.

    Apesar de estar disfarçado de pessimista, este é, definitivamente, um texto otimista.

    Beijocas,
    Natalia

    ResponderExcluir
  30. Genial! Ainda bem que tem seus textos e programa pra colocar humor inteligente nas coisas. Ah, gostei do final esperançoso dele.

    ResponderExcluir
  31. muito bom o texto. ri com a história do anticristo. mas que bom que você passou por isso e seguiu em frente.

    e como você bem concluiu o texto, às vezes deixar acontecer, deixar o moinho girar conforme a água passe, sem forçar as coisas e sem freá-las, nos ajuda a pensar melhor e ver melhor as coisas que aparecerem.

    beijos!
    railer
    blog: raileronline

    ResponderExcluir
  32. ...Tomara que tenha sido uma coisa bem boa!!!rs
    Bjobjo

    ResponderExcluir
  33. Natalia está de paquerinha, só pode.

    ResponderExcluir
  34. Natalia encontrei um padre que fala sobre namoro, muito real as coisas que ela fala HAHAH olha ae quem sabe ajuda vc tbm hahaha http://www.youtube.com/watch?v=PcY7yG4CTE0&feature=share

    ResponderExcluir
  35. Ta namorando, ta namorando, ta namorandooooo!!!!

    ResponderExcluir
  36. Isso é melhor que torta de morango.

    ResponderExcluir
  37. Adoro seus textos, me identifico demais!

    ResponderExcluir
  38. Esse negócio de quando menos espera acontece é para consolar a gente, solteiras com mais de 25 anos que todos os amigos e parentes tentam arrumar um namorado, sem inclusive perguntar se você quer ou não e sempre terminam a conversa tentando te convencer de que "quando menos esperar acontece"!
    Lógico que acontece, acontece se eu esperar também! É fato se você esperar vai acontecer e se você não esperar vai acontecer da mesma forma, com a diferença que sem esperar a ansiedade e a angustia é menor! Mesmo porque tem também a frase "quem espera sempre alcança"...lógico desde que não espere dentro de um "apartamento, sentado no trono, com a boca escancara cheia de dentes esperando a morte chegar"... Agora por favor me ensinem como não esperar nada da vida, de alguém? Como, por exemplo não esperar nada do cara que vai na sua casa fica 6 horas isso já pela 3º vez, fica horas falando do aquário dele e planos para o futuro, toca violão para você, entre outras coisitas mais, e ai não liga mais! A afinal, acho que ele não fica falando sobre os peixes deles por mais de uma hora com qualquer garota!!!!! Tipo os peixes deles é como se fosse da família, você não fica falando da família com qualquer um....então...como não esperar, como? Como?

    ResponderExcluir
  39. Amo aqui, mas vou assinar o atestado de pobreza: quando o canal do zingo disponibilizará a nova temporada no youtube para os menos afortunados que não possui o canal do multi show? Estou louca de pedra pra assistir!!!
    Adoro o seu trabalho!

    ResponderExcluir
  40. Natália como sempre incrível! Qualquer dia vou te enviar uma foto do "book" que minha mãe fez...eu e vc com 09 anos...medo total! E eu que cresci até meus 10 anos só!! Tenho 1,50 de altura...não sei se é pior ser o salva vidas de aquário ou o cotonete de orelhão...Uma ótima semana pra vc e que do nada aconteça alguma coisa! Bjus!

    ResponderExcluir
  41. o período da escola é punk mesmo. Acho que foi pra quase todo mundo. adoro seu programa e seus textos aqui no blog

    ResponderExcluir
  42. Natááália sua linda!
    Como sugestão eu queria dizer pro Multishow aumentar o tempo dos episódios né. Eu não sei se realmente os primeiros eram mais longos, ou se é pura impressão minha, mas o caso é que os novos acabam logo; E a gente, que não tem muito o que fazer nessa vida desprovida de novidades e sem muita vida-social, ficamos ali querendo mais. Então é isso, tu é ótima e um beijonocoração!

    ResponderExcluir
  43. Ah Natália Klein. Deixa eu entrar do nada em sua vida que vc vai ver oq é bom ... Vc é muito gata

    ResponderExcluir
  44. Natália, sempre irônica até mesmo para se autoretratar. Mas realmente devemos desconfiar quando alguma coisa aparece assim do nada. Não é uma coisa natural. Tudo que vem rápido demais, volta do mesmo jeito: rápido demais, assim como os fãs do Padre Marcelo Rossi, Restart..rsrs
    Continue assim, com essa irônia e esse humor negro que são indispensáveis para seu sucesso.
    Beeeeijos, sua linda ♥

    ResponderExcluir
  45. Huahuahua, gargalhei aqui com a cantada cara-de-pau do cara sem bigode...!

    Coincidentemente, hoje estava comentando com umas amigas sobre meu período na escola. Não bastava ser gorda, apelidada de "baleinha do bebedouro", desajustada e o corte de cabelo do Xororó (sem ter cabelo liso o.O). Eu tinha que ter "Bemfeito" como sobrenome, ser pateta e sensível.

    Na terceira série, primeiro dia de aula, a galera riu alto do meu sobrenome! Aquele coro mesmo, "IÁAAAAA, Natalia malfeito!". A Natalinha saiu da sala chorando, tadinha... Hoje adoro meu nome, meu avô diz que dá sorte, rs.

    "Porque quando não se espera nada, absolutamente nada, alguma coisa sempre acontece". Exatamente.

    Seu texto, apesar te ter a cara da "Aninha triste", de alguma forma me animou hoje Natalia, obrigada. Te acompanho há um tempão e fico cada dia mais supresa com o seu talento. Parabéns!

    ResponderExcluir
  46. Ah, e palmas para a sua mãe por querer te oferecer um ensino não religioso! Mas ela poderia ter sido menos contraditória né, ficar numa escola metodista e ter que se retirar deve ter feito vc se sentir "Carrie, a estranha"!

    ResponderExcluir
  47. Porque vocês acham que ela tá namorando?
    boa postagem Natalia Klein.

    ResponderExcluir
  48. Natalia, você é foda!!!(desculpe a palavra, é pra dar mais efeito)

    ResponderExcluir
  49. Adooorei! Muito legal mesmo o texto! Parabéns, guria!
    Também tenho um blog, quem quiser dar uma olhada: www.multicromatica.blogspot.com.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  50. Te adoro!

    Só de lhe ver é o sucificiente!

    ResponderExcluir
  51. Período da escola é um carma na vida de um cristão (e ñ cristão tbm).
    Quanto às coisas do nada...pra mim tbm nunca vieram.
    Tá namorando??? rss

    ResponderExcluir
  52. olá miss Nalalia, que tal seguir meu blog? preciso de ajuda, quero tornar meu blog mais visitado, ter mais seguidores., ficaria muito grato.

    ResponderExcluir
  53. Isso me lembrou aquelas celebres frases do discurso das vos (nao consigo por acento nessa droga) : "tudo que vem facil,vai facil " e de certa forma me consola,espero muito que o Restart suma no buraco negro que engoliu o Rouge e o Nelson Ned.
    O problema eh que nesse meio tempo somos obrigados a conviver,acho que deve ser uma forma de apreciar o que nos resta de bom mais o discurso do sweet and sour,ou algo do genero,nao sei pq sempre precisamos do sour,deveria ser instintivo preferir o sweet nao deveria?

    ResponderExcluir
  54. Ah que bom saber que você lê os comentários!Vou começar dizendo que seus textos tem cada vez mais personalidade.Daqui a algum tempo só vai ser preciso ler as primeiras linhas pra saber que é da Natália KLein ;) Continua assim que vc vai mais longe!
    Minha infância e adolescência foram bem esquisitinhas também e minha vida continua esquisita.Sou tímida ,já fui mais e parece que todas as pessoas que eu conheço resolveram falar que eu preciso deixar de ser assim.E por você nunca ter tido um relacionamento(19 anos) parece que tudo fica pior,elas associam uma coisa a outra,é irritante!Ah e ser do signo de virgem também,as pessoas te olham com uma cara de pena quando vc fala que tem esse signo!É a escória do horóscopo! hahahaha
    Cada vez mais eu percebo que a gente coloca muito os outros na nossa cabeça.As expectativas que nós criamos é em relação ao que vamos mostrar pro "público". Eu não quero criar um personagem simpático ,descolado pra agradar o "sonho" dos meus amigos em relação a mim.Eu quero deixar de ser tímida aos poucos dentro do meu limite,da minha personalidade.E é difícil pq eu tô me achando completamente defeituosa,tô me escondendo de tanto que falam!Parece que todo mundo consegue vencer o medos e eu vou ficando pra traz.
    E isso serve pros relacionamentos também.Ser sozinho é visto como pessoas difíceis,frias,indesejadas,assexuadas ou com um gosto duvidoso pro sexo ,infelizes e depressivas.Já ouvi de tudo um pouco.Eu tô percebendo que o que a gente tem é um certo amadurecimento emocional.Somos tâo emotivos que a gente tem medo de demonstrar e parecer exagerado ou brega. A gente sabe o que tá sentindo e se enfrenta.Estamos aprendendo a conviver com nós mesmos,cultivando e respeitando a nossa individualidade.É difícil SE AMAR INCONDICIONALMENTE.Todo mundo fala que ama a mãe ,o cachorro,o namorado,a vizinha,mas será que elas se amam totalmente?Estou vivendo um dia de cada vez,mudando minha visão perante a vida ,me aceitando sem precisar seguir um modelo perfeito de extroversão.Eu vou conseguir vencer meus medos e as coisas vão começar a surgir do nada! bjs

    ResponderExcluir
  55. Natalia, super obrigado por ter pedido para o Zingo colocar o primeiro episódio da 3ª temporada no Youtube. ;)
    Como outros, eu havia pedido isso mais ali em cima, num post bíblico.
    Muito bom ver que você, além de ler, considera o que falamos aqui!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  56. Valeu pelo 1º ep da 3ª T. Ainda + Psicose. É muito bom. ;)

    ResponderExcluir
  57. Gosto muito do teu trabalho. E divulgo sempre! Parabéns e força!!!!

    ResponderExcluir
  58. Acho fã clube uma coisa meio brega. Mas estou encaixada nele certamente. Você é de uma acidez pós-moderna... Gosto disso. Está para o Woody Allen assim como a Angelica pra Sharon Stone. Até mais.

    ResponderExcluir
  59. Natália,

    eu não conhecia seu trabalho, a única vez que assisti alguma participação sua foi na série Macho Man, porém o horário e as demais atividades me impediam de assistir a série mas eu havia gostado muito do seu papel e da sua atuação como a Nikita. Confesso que eu não me identifico com o seu perfil, não passei por nada descrito por você. (Talvez o que nos identificaria é que eu sou judeu, mas isso é outra história).
    O que eu me identifico e agradeço muito a você é que tenho uma noiva psicótica, mas muito psicótica mesmo. Ela até faz análise e essa semana passei a assistir os seus programas pelo canal do Zingo. É espetacular e a cada episódio entendo ainda mais a minha noiva.

    Já mostrei alguns vídeos para ela e acredito que ela já esteja lendo o seu excelente blog.

    Abraços

    ResponderExcluir
  60. não conhecia esse blog, gostei de como escreve!
    e preciso compratilhar, ainda dou risada quando lembro de vc falando do picles.

    ResponderExcluir
  61. Natália, gostei da sua participação no programa de calouros do Multishow. Tem que ser exigente mesmo! Hj o povo acha graça de tudo. Subiu no palco e já estão dando risada. Foi legal sua observação sobre o cinema mudo. Bjos

    ResponderExcluir
  62. "do nada..." do nada não!?
    uma hora vamos conversar sobre isso, dai tu vai saber porque as coisas não surgem "do nada.."
    bjs sucesso

    ResponderExcluir
  63. Querida Natália,
    acabei de completar trinta anos e comecei a repensar vários pontos da minha vida, um deles e principal acredito, foi o inferno que passei na escola. Pensa na desgraça: dobro da altura de uma criança normal, peso na metade de uma criança normal, cabelo no dobro de uma criança normal, além disso tem o fato de usar, óculos, ter uma "mono-celha" e um “bigodinho”.
    Fui perseguida a vida escolar inteira. Apelidos?! Faço questão de tentar esquecer, mas foram mais de 20 (bigodinho, seca, olivia, cigarrinho, bic, magrela, bambu, lango-lango...).
    Eu estudei em colégios públicos a vida inteira, naquela época os colégios de bairros pequenos eram ótimos, até o antigo 1º grau, pelo menos. Depois você era direcionado ou colégio estadual ou um particular, no meu caso foi um ano difícil de perdas na família e separação dos pais, então rumei ao colégio estadual e de lá aproveitei as oportunidades e fui para faculdade...
    Mas, esta semana minha mãe me fez uma oferta irrecusável. Ir a uma festa da igreja do bairro, onde vou poder reencontrar vários ex-“amigos”.
    Ai me veio imediatamente toda desgraça que passei na escola, todos os apelidos, exclusão de grupo de trabalho, ultima e ser escolhida na educação física, ultima das filas, ultima em tudo, sempre.
    E pensei, vou lá. Vou porque duvido que mais de 10% daqueles lindos amigos estejam tão bem quanto eu hoje. E quero aproveitar a oportunidade de cagar na cabeça deles. Mostrar que continuo alta, magra, com cabelos que hoje são domesticados e lindos, não estou cheia de filhos aos trinta anos (nada contra crianças), tenho uma ótima profissão, sou bem remunerada e tenho um marido lindo, loiro, alto, malhadíssimo e com lindos olhos azuis.
    E não me venham dizer que quero me aparecer ou coisa do tipo, isso é apenas o retorno do mal que passei e só me fez crescer.

    ResponderExcluir
  64. odeio. simplesmente odeio o fato de que as coisas só acontecem quando não estamos esperando. então para quê acontecer, caramba, se eu não quero mais?

    ResponderExcluir
  65. Aparece mulher! Tá sumida! Saudades

    ResponderExcluir
  66. Natália, pede pro Zingo colocar os outros episódios da 3 temporada no you tube? Preciso da minha dose de Adorável Psicose!

    ResponderExcluir
  67. Voltei pra falar, mas a Camila já falou. É, persona, pleeeeeaaaseee :)))

    ResponderExcluir
  68. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  69. Sim, eu também estudei em escola adventista - de uniforme azul, sem brinco, sem esmalte, sem maquiagem... Só colaborou para a noção de NÃO pertencimento, haha.
    E também: até a presente data, nada de bom ou útil me aconteceu do nada (talvez a forma como conheci meu marido seja a exceção - e só!).

    ResponderExcluir
  70. E até agora, Natália? Nenhum namorado? Mesmo com todo esse sucesso? Conta conta conta!

    ResponderExcluir
  71. Torço para que seu pessimismo seja contrariado Natalia!Sorte pra você!

    ResponderExcluir
  72. Torço para que seu pessimismo seja contrariado Natalia!Sorte pra você!

    ResponderExcluir
  73. Ahhhhh!! Eu ainda tenho esperança de salvação!!! *---*

    ResponderExcluir
  74. os seus textos, sempre muito incríveis, é como uma conversa mesmo, tu vai lendo, lendo e quando percebe já acabou, acompanho o seu blog, á muito tempo, mas muito tempo mesmo, antes de criar blog já lia e ainda morro de rir com eles, sou apaixonada pela sua serie também, é muito inteligente, enfim, seu blog é lindo, o seu trabalho é lindo, você é linda *-*

    ResponderExcluir
  75. É Natalia...que bom que eu nao estou só. Do nada, nunca acontece nada de bom comigo. ¬¬ Só me pergunto: Até quando???

    ResponderExcluir
  76. Natália, sou sua fã!Adoro o programa,é muito divertido!Parabéns pela brilhante atuação.
    Luciana

    ResponderExcluir
  77. Um amigo acabou de me indicar a série e o blog. Segundo ele: "Assiste pq é você!". Ok. Você sou eu. Você é eu. Eu sou você. Enfim, não sei escrever isso. E não tô sabendo lidar com isso... com isso de me identificar cerca de uns 98,2%. Sim, eu sempre sou o número impar nas mesas de boteco dos amigos-casalzinho. Sim, meus olhos tremem e eu pareço paralisia facial se eu encaro alguém por mais de 5 segundos. E sim, eu só me fodo. E nem é literalmente. Hoje eu cheguei em casa as 6 da manhã depois de uma festa na casa de um cara que eu to afim e obviamente eu passei a noite deitada... no sofá... sozinha. hahaha (sim, disfarço derrota com risada). E agora, sábado a noite, estou feliz com a pizza e o filme do Scorsese no DVD. Mas como sou só 1/2 culta, fui ler mais sobre o filme no wikipédia. E ah... é bem difícil encontrar pessoas interessantes numa exposição de um artista plástico incrível. Elas sempre estão ocupadas demais querendo ser interessantes (vide post de 27 de maio de 2011). Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  78. E são esses acontecimentos inesperados que nos salvam da monotonicidade diária.
    Te admiro muito Natalia ♥
    Beijos
    Sah

    saahandradee.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  79. Natália, parabéns! Admiro muito sua capacidade para a comédia! Você é tão verdadeira e espontânea. Eu assisto o Premio Multishow de Humor por SUA causa, você da sempre as respostas mais sensatas! Enquanto todos no programa te vaiam eu só concordo com você! Parabéns! Eu tenho 15 anos e tive que gravar um vídeo na escola com um grupo de 8 amigos e nós regravamos um episódio de Adorável Psicose! ( O Complexo de Édipo ) Claro que não ficou tão bom como quando você e a louca da Juliana fazem, mas foi uma experiencia bem legal! Todos adoraram! E vocês duas formam uma grande dupla! Parabéns para vocês! Quando começa seu programa todos aqui em casa param o que quer que sejam que estejam fazendo para ver, até minha mãe! Adoro todos os episódios! E Não tenho palavras para dizer quanto gosto de você e do seu trabalho! Parabéns e continue(m) assim! Abraços!

    ResponderExcluir
  80. Oi Natália!

    recentemente eu fiz 30 anos, e no dia tive uma espécie de surto que eu chamei de "Síndrome do quero desaparecer" ou, para simplificar, "Síndrome do celular desligado, do Face travado, etc. e tal". E isso durou cerca de 4 dias. Mas depois passou, e muita maturidade veio junto desde então. Sou independente financeiramente, tenho uma carreira promissora, moro sozinha e, recentemente, terminei um relacionamento de quase cinco anos. Meu maior desafio atualmente é sentir-me à vontade na presença de mim mesma, o que não é tarefa das mais simples... A maior parte dos meus amigos - que não são muitos - está casada e com seus bebês fofuchos e que dão um trabalhão, a vida de todos da família gira em torno deles. E eu nem pensei ainda seriamente em ter um baby... imagina? seria isso possível? Bom, então é isso. Se for possível, mantenha a calma e respire fundo. Isso pode até piorar - verdade seja dita - mas no fundo a gente vai se fortalecendo e relevando muita coisa, e no final, rir de si mesmo acaba mesmo sendo o melhor remédio. Abraços e parabéns pela carreira de sucesso!

    ResponderExcluir
  81. João Luiz - joao91luiz@hotmail.com15 de julho de 2012 21:41

    sabe natalia, seu texto me tocou. Não daquela forma que todos queríamos. Oh lord. Mas tocou. Gerou aquela fome incontrolável de blog sabe?! quando ficamos desesperados e vamos comendo texto por texto, mediados por uma paçoquinha, uma lasanha e um guaraná zero - o qual descobri hoje tem apenas 1kcal por copo de 200ml, ou seja posso tomar 1000 copos por dia e nao quebrar a dieta, porque sim estou de dieta, não que eu precise de dieta, mas isso é assunto pra a amolação de outro dia- e claro , alguns dramas amorosos no celular. De qualquer forma, a verdade foi que eu senti inveja, não aquela de sempre querendo que você não tivesse, mas aquela querendo pra mim. Sabe nathalia, tenho vinte anos e estou terminando a faculdade de medicina, passei uma vida me planejando, me somando, me calculando e, claro, me censurando. E no meio de uma procura incessante por uma prova de residencia de uma universidade aqui na net me deparo com a seguinte colocação, sua , minha cara: "Pela primeira vez em todos esses anos, eu não faço ideia da pessoa que quero ser ou daquilo que quero fazer. E a sensação não poderia ser mais libertadora". ô desespero que me bateu, pensei na hora, "facebook now?", mas daí me lembrei que de tão pouco entrar era capaz que ninguem ia entender. Me sufoquei, fiquei sem ar mesmo. Precisava contar pra alguém, precisava falar que "ah, se ela soubesse como eu sonho com o dia em que poderei sentir isso", momento onde poderia responder a pergunta do "e agora?" com um sorriso largo e um "não sei, e nao me importa..." Nunca me permiti sentir o gostinho de não saber, nao me foi permitido. Mas agora pelo menos eu sei, é possivel sentir-se assim, não é mera loucura de um idoso de vinte anos que se preocupa apenas em terminar esse ultimo ano de faculdade e passar na bendita residencia. Ah natalia, nao me sinto ainda assim, mas nessa eu vou te tombar. Chegarei lá.

    ResponderExcluir
  82. Eu estudo numa escola adventista, e mto chato, sempre sou obrigada a tirar meu lindo esmalte :'(

    e incrivel, qdo n se espera nada, algo de ruim acontece pra me ferrar!!

    Natalia, sou sua fa. gosto mto da sua serie e do blog!
    parabens pelo sucesso psicotica!

    ResponderExcluir
  83. A divina maldição de ser diferente, quem é consegue sentir e ver coisas em sua forma mais profunda mas anseia por detalhes de uma vida normal como o amor.
    Quem pensa de modo único está sempre se debatendo nesta área por diversas razões mas principalmente porque outras pessoas com estilo compativel de pensamento são raras.
    Ou se adota a simplicidade e se atormenta ou continua uma fatigande busca.
    Os normais não sabem ser diferentes e os diferentes, embora sofram por não ser entendidos, não trocariam sua visão única do mundo para serem normais.
    Você trocaria?

    ResponderExcluir
  84. Cade você Natália? Não abandona o blog :D Sentimos falta!

    ResponderExcluir
  85. cá estou lendo pela 2 x o seu blog e só posso dizer que me encanto cada vez mais me identifico muito , sou uma psicótica viciada no programa e agora no blog ... sou muito sua fã e desejo-te felicidades

    ResponderExcluir
  86. Natália Klein,

    Apesar de eu ter sido um garotinho normal durante minha infância, minha adolescência foi conturbação pura. Devido à minha enorme timidez e toda sorte de desastrosas situações eu era sistematicamente e socialmente rejeitado, principalmente pelas garotas.
    Difícil não me identificar contigo.
    Definitivamente esse mundão não tinha sido feito pra mim...
    Mas o tempo passou e do nada!? as coisas foram acontecendo.
    Reconheço na Natália um pouquinho de mim, e muito das sinceras psicoses reprimidas de todos nós.
    Teu humor ácido, tuas tiradas diretas e certeiras, teu jeitinho invocado de olhar, reclamar e questionar são simplesmente fascinantes.
    "Complicada e perfeitinha..."

    ResponderExcluir
  87. Tenho 35 anos, um marido que não se parece nada comigo, uma filha de 7 anos que já é cheia de complexos, e um emprego que ninguém valoriza, e um chefe vaquinha de presépio, de todos os objetivos, que tracei em minha vida só consegui um que foi ter um filho(na verdade este era o último). Percebi que tudo o que dependia unicamente de mim não deu certo, pois em algum momento eu me sabotei consciente ou inconscientemente... Na minha concepção, você conseguiu o mais difícil que é fazer o que gosta e com maestria! Você tem uma carreira de sucesso!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe de uma coisa? Tudo vem no seu tempo. Mesmo. Boa sorte para nós!

      Excluir
  88. Gosto muito do blog, programa e agora da sua participação do prêmio Multishow. Parabéns!

    ResponderExcluir
  89. Queria tanto uma nova publicação!!!! Já estou com saudades

    Bjs,

    ResponderExcluir
  90. Oi, Natalia. Assisti a um programa no multishow hoje e vi vc como jurada. Não sabia da sua existência até poucos minutos atrás. Bom, o fato é que eu fiquei mal com o programa. Os jurados me deixaram deprimido. Vc, especialmente, me deixou mal. Aliás, jurado é um tipinho que sempre me deixa mal, mas o que me deixa mal mesmo é ver um grupo de comediantes medíocres, nada engraçados, massacrando os outros, como se fossem donos de alguma verdade aí que enfiaram na cabeça de vcs e vcs acreditaram. Não, não sou nenhum dos aspirantes a humoristas do programa nem ninguém da família deles. Sou só um telespectador desavisado. Na verdade, eu gosto muito pouco de comédia.Acho que só aquela turminha da MTV mesmo consegue me fazer rir, porque eles, sim, são bons e não precisam explicar a arte deles. Apenas fazem rir e rir e rir. Os aspirantes do programa eram, de fato, muito ruins, mas é mesmo triste ligar a televisão e ver pessoas humilhando pessoas, porque é isso que rola. O que rola não é uma crítica construtiva. Não rola um pingo de estímulo em relação aos participantes, o que rola é apenas vaidade. É mostrar quem vc é, exaltando o que o outro não é. É triste, é feio, é baixo, é pouco humano. Dá vontade de nunca mais ver televisão na vida. Aí vc vem com aquela de "o mercado é assim. nós somos sinceros e estamos ajudando". Mentira. A última coisa que se pensa é em ajudar. Dá vontade de fazer cada um de vcs sentirem isso na pele. Dá vontade de ver vcs passando pelo mesmo constrangimento. Vc deveria escrever sobre isso no seu blog, mas isso nao te deixa psicótica, né? fodam-se os outros, o que importa é o seu visual moderno e suas próprias crises existenciais.É sempre assim, né? o inferno é sempre associado aos outros. Só aos outros. Hj vc está bem, mas será que vc segura uma carreira com um blog de besteirinhas e um programa de besteirinhas? espero que sim. espero que vc vingue e segure firme. tbm espero que vc pense sobre cada palavra que vc escolhe expor nos programas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recalcation feelings. Totalmente equivocado, não sabe nada sobre meu trabalho ou sobre minha vida e vem vomitar na minha casa virtual. Mais um anônimo covarde, medíocre e babaca. "Frankly my dear..."

      Excluir
    2. Eu pensei q esse espaço fosse pra comentar os posts! Se vc quer criticar um programa entra no site do Multishow e manda o malho! Entrar nesse cantinho só pra malhar a Psicótica ta parecendo q e algum desafeto pessoal

      Excluir
  91. Queridos psicóticos, sei que ando sumida, mas voltarei em breve com notícias bombásticas. Tipo... bombásticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natalia, estou super ansioso por essas notícias bombásticas...
      Sobre o anônimo com comentários infelizes, realmente é digno de pena. Mais um a confundir liberdade de expressão com agressão verbal gratuita.
      Além de todas as ofensas que dispensam comentários, ainda cita como excelência em humor televisivo a "turminha da MTV". Tá brincando né, meu amigo? Pelo amor de Zingo! Podia ter citado algo "um pouco" melhor, não?

      Amplie seus horizontes e aprenda a respeitar os outros, eis a crítica construtiva de que tanto sentes falta.

      Excluir
    2. Jacob,
      Concordo com vc, não entendi por que a agressividade. Depois quis ser "cavalheiro" pedindo desculpa. "não sei aonde estava com a cabeça", ainda bem que ele não é policial, atira primeiro para depois perguntar o que aconteceu.

      Excluir
    3. Cara na moral, é patético uma pessoa que esculacha um trabalho de uma pessoa e vem pedir desculpas...haa cara namoral...Linda Natalia me desculpe a expressão mas...Haaa, Vai a pqp em pé, hô seu anônimo de merda, primeiro que indigente não fala e não tem direito algum de falar nada, depois mostre que você é "cidadão""humano" mostrando o rosto, depois expresse a sua opnião sobre as coisas...e o que é isso? fala merda e pede desculpas? Tava possuido por um suposto demonio quando escreveu, ou tava no sonambulismo? num Fo...
      Perdão minha cara Natalia, parabéns pelo seu trabalho, sucesso, continue assim, incrivelmente pscotica :) bjus

      Excluir
  92. Putz! Realmente, escrevi aquele "vômito" ontem à noite. Não sei onde diabos estava com a cabeça de entrar aqui com tanta negatividade só pra escrever isso. Não sou assim. Nem quero ser. De fato, nem conheço o trabalho da blogueira. Devo ter escrito isso para alguém imaginário, já que tirei conclusões rápidas e forjei, sem querer, uma personalidade para ela, que nem conheço. Mil desculpas. É sincero. Sorte, sucesso e mais seguidores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relaxa, puxa uma cadeira e aprecia o barquinho que vai enquanto a tardinha cai. :D
      O que vc escreveu tá escrito e já teve gt mais trash poraki. Eu mesmo já mandei um tijolaços e gol`s contra. Mas ficar nessa de anônimo é muito irritante! Bota a cara e assume assinando o q escreve.

      Excluir
  93. Eu fui aquela menina desproporcional a todos da classe na escola, ao contrário de você, odeio ensino religioso apesar de ser kardecista. Minha vida amorosa no entanto é catastrófica assim como o Restart, o Big Bang e o Padre Marcelo Rossi. Dizem que a nossa vida é um retrato mal-falado de vidas passadas, pobre de nós que passamos por isso o tempo todo!
    Tragédia existencial essa minha, enfim, estou superando. Espero chegar aos 27 com o mesmo humor cáustico do seu Natalia. Adoro seu blog e seu programa!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  94. Boa noite natalia,
    Me aprofundei no seu blog pelo que eu vi no seriado, e é fantástico a colocação nua e crua do relacionamento homem x mulher, mais mulher x homem x gay, tive dois casamentos fracassados e hj aos 40 nao me vejo tendo um relacionamento serio, o que diga de passagem é mais facil ficar com minha amada amante. hoje vejo como é complicado a pessoa se doar 100% na relação, talvez por medo, dor sentimental as pessoas vão se escondendo de algo mais sério. Cheguei a pensar quem vale a pena, mas a que ponto eu estaria apto a isso?? a assumir uma relação se aparecer uma pessoa q "vale a pena"??
    Não seria interessante o seriado passar na rede aberta???
    Bjs Natalia

    ResponderExcluir
  95. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  96. Se você não postar nada 1 2 3 minutos corto os pulsos da minha secretária... rssrrss

    ResponderExcluir
  97. Natália, qual seu filme preferido de Woody Allen? Bjo

    ResponderExcluir
  98. Volta Nathalia....

    e para o Brunno Sena que postou alguns dias atras (eu - sua noiva)não sou muito psicotica. Sou nervosa, ansiosa, tenho sindrome do panico e frequento ao psicologo.
    Nathali, realmente eu tenho que te agradecer pela série, Brunno baixou diversos para eu assistir e fiquei horas vendo. Me faz rir muito.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  99. Texto incrivel que surgiu de algum lugar sim! Kkkk me identifiquei com a situação, pois eu tambem era retirado da sala durante as aulas de religião. Sabe, um monumental nosso espaço e SEU espaço.

    ResponderExcluir
  100. A notícia bombástica tem a ver com Sérgio mallandro sair da mesa de jurados do Prêmio Multishow de humor? Bom, podia né... quem sabe.
    Ah, teu trabalho é incrível!

    ResponderExcluir
  101. Natalia, poxa nati, volta. come back to me now.
    Rsrsrsr

    ResponderExcluir
  102. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  103. Não, as coisas não acontecem do nada! E se acontecem pode ter certeza que uma hora vai dar merda. O mesmo acaso que te traz uma coisa que parece ser boa, se encarrega de foder com tudo logo depois.

    Natalia, eu sou praticamente você, mas com na versão masculina e homossexual. Talvez se não estivesse tão revoltado nem te escreveria, mas não consigo de deixar de compartilhar a minha maldição. SEMPRE que eu gosto de alguém, num curto de espaço de tempo depois, esse alguém conhece sua alma gêmea e namora por anos. Sou responsável por tantos relacionamentos bem sucedidos e nunca namorei. Tenho 26 anos e nunca namorei. Isso soa familiar?

    Ontem novamente aconteceu. O ex peguete que eu estava apaixonado até umas semanas atrás vem me contar (sim, eles tem a necessidade de virem me contar) que está namorando. Desejei felicidades e que ele logo leve um pé na bunda e engorde 15 kilos. mas ok, só verbalizei a parte da felicidade e mentalmente fiquei imaginando o pé na bunda e os 15 kilos.

    Tenho que te agradecer muitíssimo pelo meu mantra das próximas semanas. Obrigado, Natália!

    Eu sou uma estrela de luz. Eu mereço ser feliz. Eu não preciso de você. VAAAIII, A. M., MORRA, A. M.! ENGORDE 15 kilos A. M.!

    ResponderExcluir
  104. Não, as coisas não acontecem do nada! E se acontecem pode ter certeza que uma hora vai dar merda. O mesmo acaso que te traz uma coisa que parece ser boa, se encarrega de foder com tudo logo depois.

    Natalia, eu sou praticamente você, mas na versão masculina e homossexual. Talvez se não estivesse tão revoltado nem te escreveria, mas não consigo deixar de compartilhar a minha maldição. SEMPRE que eu gosto de alguém, num curto de espaço de tempo depois, esse alguém conhece sua alma gêmea e namora por anos. Sou responsável por tantos relacionamentos bem sucedidos e nunca namorei. Tenho 26 anos e nunca namorei. Isso soa familiar?

    Ontem novamente aconteceu. O ex peguete que eu estava apaixonado até umas semanas atrás vem me contar (sim, eles tem a necessidade de virem me contar) que está namorando. Desejei felicidades e que ele logo leve um pé na bunda e engorde 15 kilos. mas ok, só verbalizei a parte da felicidade e mentalmente fiquei imaginando o pé na bunda e os 15 kilos.

    Tenho que te agradecer muitíssimo pelo meu mantra das próximas semanas. Obrigado, Natália!

    Eu sou uma estrela de luz. Eu mereço ser feliz. Eu não preciso de você. VAAAIII, A. M., MORRA, A. M.! ENGORDE 15 kilos A. M.!

    ResponderExcluir
  105. Questão simples: Quando você anda por uma rua enxerga um back up seu ao seu lado ? Sm? Então não é nada. O meu conversa comigo e tenta me contar a história de um tal Conde de Montecristo. Já estou com o saco cheio. Pegue-lo pra você !!!

    ResponderExcluir
  106. Marcelo Mendonça Rossi é um sacerdote católico, cantor, ator e ex–professor de educação física brasileiro conhecido por sua atuação na divulgação da fé católica, através dos meios de comunicação social. O Padre ficou nacionalmente conhecido pela forma de adoração praticada pela Renovação Carismática Católica, que usa os Dons do Espírito Santo, incluindo as orações em linguas Espirituais e as Músicas de Adoração Espiritual , o que "não era comum" para os Padres. Então : Deu aquele auê todo. A seguir veio o Pe. Reginaldo Manzotti, que fez vir à tona "a Historinha dos Padres Pedófilos". Mas, o Pe. Marcelo Rossi é quem iniciou a parada toda, que até; então, era : Ôh ^^. E, assim foi-se seguindo uma sequência "bonita", em que Padres logo de início sentiram-se chamados para a vocação musical de Adoração Espiritual. Hoje amo de paixão; inclusive, somos colegas, o Pe. Fábio de Melo. A bênção Pe.Fábio.
    Espero tê-lo ajudado, tipo assim :"Obrigada por nada". Sempre têm um porquê. Sempre deve-se dar um Obrigada. Nunca "por nada".
    Abração.
    Miaaa !

    ResponderExcluir
  107. Natália (:
    Pela primeira vez estou comentando no seu blog.. E é só para elogiar! Gosto muito, tipo MUITO, da série e dos seus textos. Eu digo com orgulho que demorei, mas eu li todos os posts. (: hahahaha
    Você está de parabéns. Te desejo muito mais sucesso, o que não é um desejo totalmente altruísta, porque estou pensando na minha diversão. HAHAHAH.
    Abraços de Natália para Natália (:

    ResponderExcluir
  108. Todo mundo tem um lado psicótico dentro de si. Desde a pessoa que tem medo de dar descarga na casa dos outros por medo de acharem que ele não foi somente fazer xixi até a pessoa que inventa uma situação na cabeça usando a imaginação e acaba ficando irritada de verdade com seus pensamentos e as vezes, dependendo do grau de psicose, até para de falar com a pessoa, pra se ter uma ideia.
    Parabéns por abrir mais um caminho no humor brasileiro. Hoje em dia tem muito humorista pra pouco humor. Muita piada para pouco riso.
    Depois que eu assisti pela primeira vez o programa, minhas sessões de análise nunca mais foram as mesmas Rs.

    ResponderExcluir
  109. além do Restart eu incluiria a essa lista o tche tcherere tchetche e o Ai se eu te pego!

    ResponderExcluir
  110. "Eu também precisava ser o Anticristo" CHOREI DE RIR

    ResponderExcluir
  111. Uau, me identifiquei demais com esse texto. Na escola eu tambem era beeem maior que os meus colegas, usava aparelho, meu cabelo era ruim e, pra ajudar, era gorda. Huashaushaus. Adoro o seu trabalho, você é ótima

    ResponderExcluir
  112. Car$%#, me mijei de tanto rir!

    ResponderExcluir
  113. Car$%#, me mijei de tanto rir!

    ResponderExcluir
  114. Bem original e não é cópia como outros! ;)

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira