natalia

terça-feira, 5 de junho de 2012

A Crise ou O Soneto da maturidade feminina é apenas um nome de um chá ruim


Crise. Vem do grego krísis. Dentre algumas definições médicas que eu espero que não venham ao caso,  o dicionário nos dá as seguintes explicações: momento crítico ou decisivo; situação aflitiva; conjuntura perigosa, situação anormal; momento grave, decisivo. 
Pois bem, eu estou em crise. E como toda crise, ela não surgiu do nada. A crise geralmente começa disfarçada de qualquer outra coisa, sempre muito trivial. Uma preguiça de levantar, uma dorzinha de cabeça que nunca passa, um desânimo recorrente. Dali a pouco, nasce um nó na garganta, que não pára de crescer. E tudo que costumava te motivar, agora te causa profundo desdém. E só tende a piorar, até que o nó na garganta se torna tão imenso que você começa a sufocar lentamente. Então você sabe que está em crise. 
Não sei se chega a ser uma crise dos trinta, visto que tenho honrosos vinte e sete. Mas como tudo hoje em dia acontece mais cedo - culpa do aquecimento global, claro -, talvez seja uma crise associada ao que ter trinta anos representa.
Sempre achei que essa passagem mítica para a fase adulta se daria quando eu conquistasse minha independência financeira, mas não foi. Depois acreditei que ela pudesse acontecer quando eu tivesse minha casa. Também não. A minha vida inteira, eu sempre tive certeza do que queria. O que é bom, porque sempre fui muito focada. Mas também se tornou um fardo, porque fui sempre tão focada que qualquer variação do plano original se transformava em algo impossível de lidar. Agora estou tão perto de ter tudo o que sempre quis, que quase consigo sentir o cheiro da epifania que vai acontecer muito, mas muito em breve.
Porque depois de todo esse tempo travando batalhas para me tornar quem eu queria tanto ser, chego à conclusão chocante de que a carapuça já não me serve mais. Pela primeira vez em todos esses anos, eu não faço ideia da pessoa que quero ser ou daquilo que quero fazer.
Só então eu pude entender no que realmente consiste a passagem para a fase adulta. Claro que tem muito a ver com assumir responsabilidades e compreender que, em última instância, você deve contar apenas consigo mesmo. Mas também tem a ver com perder o medo de errar. Até porque, quando você assume as responsabilidades pelas suas escolhas, como um adulto deve fazer, o ônus é todo seu. Então, se der errado... bom, dane-se. 
Estou em crise. Minha vida está toda bagunçada. Minha cabeça está uma zona. Mas, de alguma forma, sinto que a faxina que está por vir será a mais revigorante de todas. Principalmente porque ela não será definitiva. Quando a gente arruma demais, não sobra espaço para o inesperado surgir. E eu estou oficialmente deixando de programar tudo. Eu quero me deixar ser surpreendida e, quem sabe, com sorte, surpreender a mim mesma.
E quando me perguntarem quais são os planos para o futuro, eu vou responder qualquer coisa, mas estarei pensando o que jamais imaginei pensar. Eu realmente só quero ser feliz. Enquanto isso, bebo um chá que eu comprei numa loja de produtos naturais, de nome poético, mas de gosto estranho. 

98 comentários:

  1. ótimo texto, autoconhecimento é mesmo fascinante, ainda mais em tempos em que tudo que as pessoas dizem de mais profundo não passam de citações distorcidas. Quanto a crise, ah, são as fases mais produtivas. Boa crise, aproveita e que venha o novo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Nathália, que estranho ler seu texto. Você se perde por ter conseguido atingir todos os "estágios" da vida aos quais se propões. Meta 1, ok, meta 2, ok, meta 03, ok... Eu, ao contrário, fico esperando o carrinho de bate, bate parar de bater e me pergunto: "como assim ela pode estar em crise?" Mas, no fundo, sei que a gente não é 2 mais 2 igual a 4 e acho mesmo que, ver todos os planos traçados sendo 100% atingidos, podem gerar, sim, um piripaque lá na frente. Ou seja, tem jeito não. O ser humano é maluco mesmo.
    De qualquer modo. Aproveite a sua fase de estar se libertando, te desejo toda a felicidade :)

    ResponderExcluir
  3. Sensacional!!!!!!!!!!!Muito bom mesmo...Reflete tudo o que muita gente sente,mas não consegue explicar!!!E eu,como uma 'escritora de gaveta',estou simplesmente encantada com esse texto!!Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. faço suas minhas palavras!

      Excluir
  4. Acredito que essa seja a graça da vida - crescer e se libertar e no final ter de se reinventar, até esperando pelo destino. Boa sorte nessa fase!

    ResponderExcluir
  5. Espero que minha faxina não demore 10 anos pra chegar (tenho 20 e também estou em crise!)

    ResponderExcluir
  6. Coisa mais linda esse texto.. você é demais :)

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente incrível.As vezes eu acho que vc pensa por mim pois este seu texto me ajudou a ter conclusões brilhantes sobre a fase que eu estou passando.Isso que eu acho inacreditável em você e na maioria das pessoas que escrevem :Canalisam suas conclusões e ainda ajudam as dos outro .Foda! Obrigado e continue trilhando o caminho da sua felicidade

    ResponderExcluir
  8. Acho que a maturidade se dá bessa fase, em que sabemos que o que importa meeesmo, é a nossa vida, o nosso ser, nós por nós... Sinta o dever das conquistas já cumprido e aproveite qualquer suspense que vier, um sustinho de arrepiar a pele frente ao inesperado é tão bom...

    Beijo grande
    Carla

    ResponderExcluir
  9. Seu texto serviu como um consolo, estou passando pela mesma situação :(

    ResponderExcluir
  10. Compreendo profundamente.. Ótimo texto! =)

    ResponderExcluir
  11. Vem ser phoda assim aqui em casa =D

    ResponderExcluir
  12. "Acordei com um grito que só eu ouvia:
    Agora é a hora em que se escolhe...
    Ou você vive certo, ou vive de poesia..."

    ResponderExcluir
  13. pela primeira vez eu deixei de planejar as coisas milimetricamentes em minha vida...to fazendo o que eu gosto, batalhando, mas deixando a vida me surpreender e me surpreendendo tbm!!! Ao mesmo tempo que é libertador é mto louco... é estar em crise...é um turbilhão de sensações.... mas entre todas as crises... essa minha dos 26 esta diferente.... Belo textoooo

    ResponderExcluir
  14. Bem-vinda ao clube (aconteceu comigo quando tinha 27, mas a reinvencao vale a pena).

    ResponderExcluir
  15. vc muda, a vida muda, o teor dos textos do blog mudam. mas tudo continua otimo... bjo grande

    ResponderExcluir
  16. Fui que quem escrevi esse texto? Oi? Você tirou as palavras do meu pensamento. Estou na mesma crise. Na mesma!

    ResponderExcluir
  17. Perfeito como sempre!! Vc se reinventa todos os dias...vc acha que alcançou todos os seus objetivos, mas não, cada mergulho é um flash!! Todos os dias uma nova descoberta, tente olhar desse jeito!! Te adooooro, tenha um ótimo feriado!! Bjuus!

    ResponderExcluir
  18. Sabe... é estranho quando vemos que voce esta passando por este tipo de situaçao. É até confuso porque estamos acostumados a ver a "Natália super legal, 'moh astral""sempre fazendo todos rir, demonstrando tao somente uma faceta descolada, bem sucedida, resolvida.... e nos deparamos entao que até a Natalia passa por crise... quem diria... ou seja, é normal... completamente normal e distante de qualquer psicose....
    Hoje minha vida está mais ou menos como a sua esteve... estou prestes a me formar e tenho todos os passos milimetricamente calculados... sera que passarei pela mesma crise?? Quem sabe...
    Na verdade, acho que está na hora de nos, fãs, fazermos um show para voce... Voce merece que a façamos rir, do jeito que voce nos faz.

    ResponderExcluir
  19. Natalia,

    Sei que seu objetivo não é o de "ajudar" as pessoas, pois você só quer fazer humor, ser uma boa atriz, uma excelente escritora, escrevendo textos hilários aqui no blog e também no Adorável Psicose (série). Mas precisava te dizer isso: você me ajudou MUITO. Sabe, sempre fui complexada por ser muito alta. Um complexo silencioso. Sempre sofri por calçar 40 (não apenas pelo estigma de Cinderela (a mulher tem que ter pé 33 para caber no sapato de cristal e, só asssim, ser reconhecida como uma possível prentendente pelo príncipe encantado). Enfim, sempre sofri com isso, mas nunca falei sobre isso. Até que não sofri muito com piadas ou bullying dos outros, não tive que enfrentar apelidos como "girafa". Mas sofri com a auto-rejeição, que talvez seja o pior tipo de bullying que alguém pode sofrer. Como lidar com o algoz do algoz que somos nós? Mas, o modo como você lida com isso no texto do "Adorável Psicose" me fez olhar para "o problema" com outros olhos: olhos de humor. O humor que exagera e denuncia o absurdo da vida: mas que também diminui o peso do que nos incomoda porque nos faz rir de nós mesmos e nos faz não levar tudo tão a sério. Enfim, me identifiquei total com a personagem Natalia da série, comecei a rir das situações que envolviam a altura (principalmente no episódio em que a mãe da Natalia a visita) e fui relaxando, fui rindo de mim mesma também e, de repente, mudei. Simplesmente parei de encanar com isso, de desejar ter nascido anã, de me sentir desajeitada... enfim, fui deixando de ser obcecada com isso. Outro dia, tirei onda e fui de salto numa festa (nunca tinha usado salto por complexo, só sapatos baixos) e, mesmo tendo quase 1.80m (sem o salto) me diverti bem mais do que antes. Não me preocupei se estava bizarra, alta demais, enfim, não liguei pra nada, não fiquei tentando imaginar o que se passava na cabeça dos outros, deixei meus achismos obsessivos para lá, deixei que os outros pensassem (ou não) o que quisessem e me deixei em paz. Não me preocupei se, com o salto, menos caras "chegariam" em mim por conta da altura, mas o fato é que muitos "chegaram", vários da minha altura, alguns mais altos e até um mais baixo e eu percebi que rir de nossos problemas não apenas deixa tudo mais leve como também nos deixa mais leves, mais interessantes e bonitos. Muito obrigada, Natalia, pois você, mesmo sem a intenção, mudou a minha vida. Quer dizer, mudou a minha percepção sobre a minha vida e me ajudou a me sentir mais confortável em minha própria pele. Hoje em dia me sinto melhor comigo mesma e até gosto de ser alta. Tem suas vantagens, sim. Obrigada, Natalia. Um abraço de uma fã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda! Muito obrigada pelo depoimento. Validou pra caramba meu trabalho.

      Beijos,
      Natalia.

      Excluir
  20. Adorei, eu por exemplo acabei de sair de uma e olha que eu só tenho 24 faltando um mes para 25, creio que eu seja um daquelas pessoas precoces com a mente madura num corpinho jovial. Deixando o narcisismo de lado, é engraçado pensar em como nesse momento, certas coisas perdem o sentido e como certos valores são reavaliados. Crises são otimas para refletir, medidar, quebrar uns pratos, tomar um porre, mentira, nao precisa de tanto drama, coisa de canceriano, aliais acho q todo escritor de novela mexicana é canceriano, pq todo aquele devaneio de Rodrigo Augosto e Maria Carolina, fora os bigodes, o figurino, enfim coisa de canceriano, mas voltando a crise olha o mestre Yoda, aquele anao verde enquanto todo o Imperial esta em crise toma chá, ou entao o K do MIB 3 esta prestes a morrer pelo alien do futuro, para e come torta, acho q eles compartilham algum tipo de erva, mas enfim, quando a mente esvazia tudo flui mais facil e nunca aquela frase cliche q roda os posts do facebook fez tanto sentido "Aproveite todos os momentos, por que o tempo nao volta" ok, nao sei se era exatamente isso ou se criei um pensamento agora, de qualquer forma o q importa é a mensagem, então aproveita seu momento pq no final vc sairá fortalecida, ou pode ir direto pra um hospicio, mas isso é raro, geralmente as pessoas saem de crises com algum ensinamento vou nessa gafanhoto, um grande beijo, (momento tiete ou tieti) adoro seu programa, apesar de só te conhecer através de uma tela de LCD parece ser uma profissional incrível, sucesso!

    ResponderExcluir
  21. Muito obrigada pelos comentários. Que a crise passe e vocês continuem!

    ResponderExcluir
  22. raison d'être ;[

    razao para viver/existir .. nossas crises tentam nos trazer isso no fundo.. eh so perceber os momentos que elas surgem.. como esse, quando terminamos algo importante, onde deveria haver um final, um ponto.. mas no fundo existem reticencias que nao sabemos como irao seguir. E que derrepente se resolve ou ao menos o foco muda..

    see ua,

    Simone

    ResponderExcluir
  23. Fico feliz em ver que tem cada vez mais homens lendo e comentando no Adorável Psicose...quase posso parar de me achar estranho...

    ResponderExcluir
  24. Cada vez mais adorável.. *-*

    ResponderExcluir
  25. Disse tudo Elvis kkk

    ResponderExcluir
  26. Oi Natália!
    Realmente é uma fase complexa. Na verdade somos uma geração de transição, que crescemos sem computador,facebook..., que comíamos na mesa com a família(com exceções obviamente) mas que agora temos que nos adaptar a um mundo em que tudo parece ser fácil, em que o legal é ser diferente mas a gente se esquece que quarenta, cinquenta anos de revolução sexual não vão mudar instantaneamente (em nossa mente maluca) milênios de repressão feminina... seu blog e seu programa são excelentes exemplos dessa nova realidade: a mulher em crise! Por isso, vamos rir mesmo de tudo que nos aflige, de tudo que nos foi imposto como errado, vamos nos permitir (original...)!!!
    Adoro muito seu programa! Tipo: muito!
    Continue assim, sendo o reflexo da nova mulher que tem que constrói o caminho cuja única referência são suas próprias experiências e dissabores.

    MSM, 27 anos, 1.78m de altura. Doutoranda em crise.

    ResponderExcluir
  27. Natalia,

    Depois de ler esse texto, a minha vontade era de te dar um abraço!
    Ler esse texto, foi um despertar!
    Há algum tempo venho acompanhando este blog, confesso, todos os dias venho aqui, pra ver se tem textos novos... Valeu a pena esperar!
    Ah... ótima música! Essa cantora Ingrid Michaelson é realmente incrível!

    ResponderExcluir
  28. Ler seus texto é....simplesmente olhar um espelho!!!! Você é incrível.
    Que a crise passe logo.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  29. Natália, você é fantástica!!! Sinto-me tão compreendida quando leio os seus textos!! Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Todo sofrimento gera amadurecimento, ou vice versa. O importante é preservar sua natureza, ser fiel aos seus desejos e se perdoar de vez em quando. Vinte e sete anos é apenas o começo, e vc já tem muita sabedoria! Escrevi um texto no meu blog intitulado Maturidade x Insanidade, e fala do amadurecimento. Se puder, passa por lá!
    Obrigada por compartilhar suas crises, vc se aproxima de nós cada dia mais! beijos!
    Segue o link da postagem:
    http://asomadetodosafetos.blogspot.com.br/2012/06/maturidade-x-insanidade.html

    ResponderExcluir
  31. Nossa, parece até mágica, sei lá. Só sei que eu estava vendo videos aleatórios no youtube e achei a série do Adorável Psicose.
    Eu assisti tudinho (ou pelo menos o que o youtube me oferecia) e descobri o blog, foi como se eu visse minha vida ser escrita por outra pessoa. Sério. Tanto que nesses dias eu estava meio que em crise quando acabei de ler esse seu úlimo post.
    AMO O SEU BLOG!
    Continue postando e alimentando suas (seus) fãns.
    Beijos, Lu.

    ResponderExcluir
  32. Oi Natália (você tá aí?). Bem, meu nome é Victor e eu sou super fã do seu programa e do seu blog e resolvi escrever uma resenha com o que penso sobre ambos. Se você se interessar, o link é: http://www.digdigjoy.com/2012/06/adoravel-psicose-terceira-temporada.html
    Fala sobre o que é o seriado, os pontos fortes e fracos (na minha opinião). Espero que não fique com raiva de alguma coisa ou outra. Talvez o que eu falei como crítica seja melhor interpretado por um caminho a não seguir. Ou a se seguir, o programa é seu. Só quero que saiba que sou seu fã incondicional. Obrigado pelos textos, videos e tudo mais.

    ResponderExcluir
  33. Eu acho que eu entendo um pouco dessa coisa de achar que a felicidade vai vir com sonhos cumpridos, ou quando conseguir o que se deseja, mas em minha experiência de vida de 22 anos percebi que a felicidade é algo totalmente interno, uma coisa que temos que descobrir sozinha e infelizmente o mundo de fora contribui menos do que pensamos, porque quando nos descobrimos, somos felizes por ser a pessoa que somos, por termos tudo o que temos e por conhecer quem conhecemos. Quando esperamos encontrar a felicidade em algo, fica essa sensação de vazio, porque a felicidade sempre esteve conosco, nós apenas a procuramos no lugar errado....
    Desculpa o comentário grande, essa é apenas a minha opinião, espero que te ajudo pelo menos um pouquinho nessa crise.. Tudo de bom pra você Natália..

    ResponderExcluir
  34. Mais uma vez, me identifiquei !!!...Bjos

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...E olha que sou dez anos exatamente mais velha !!!...Estou tbém em crise !....

      Excluir
  36. Não tenha medo de dizer "não sei". Confia que no momento certo vc saberá.

    http://teoriaspironescas.blogspot.com.br/2008/01/no-se-pode-confiar-em-quem-nunca-diz-no.html

    Esse Album da Ingrid Michaelson é muito bom. Embora essa música seja de outro.

    ResponderExcluir
  37. Natália, se você descobrir como deixar de premeditar e planejar tudo, e se frustrar quando alguma coisa não sair como imaginado, me ensina?

    ResponderExcluir
  38. Incrível o texto. Me identifiquei plenamente, e creio que "crises" de identidade, idade e afins são comuns em todas as fases da vida.Principalmente conosco, as mulheres. E essa mania de planejar tudo, e querer que dê certo exatamente do jeitinho planejado é muito comum da minha parte. Mas sempre existe as circuntâncias da vida, os dialógos que não acontecem e as surpresas, para nos deixar "psicóticas" por não ter dado tão certo quanto o imaginado. Boa sorte nessa tua nova fase. Viver com leveza e deixar a vida nos surpreender sempre da certo! bjs

    ResponderExcluir
  39. Engraçado isso agora. Fui a uma gravação do Prêmio Multishow de Humor e mesmo metida no desconfortável posto de telespectadora adestrada para reagir conforme as ordens de um diretor, deu pra sacar algo se distanciando daquele ambiente. Cada frase que saia da sua cabeça parecia uma mescla de cálculo com espontaneidade. Uma coisa muito estranha, na verdade. Existia toda uma preocupação em reverberar coerência. Você sentava ao lado de uma pessoa cabotina que tentava puxar o foco para si com, sei la, grilhões metafóricos? O microfone não estava alto o suficiente..
    Foi meio triste, na verdade.
    Enfim, as apresentações foram qualquer nota e você fez questão de dizer que elas eram bem baixas. O fato é que vc prioriza e você seleciona e você discerne as coisas muito bem. Quando isso acontece, muita gente não entende. Algumas até vaiam e conseguem passar a vida nessa base "de vaiar" por ser mais confortável.
    Algumas colecionam crises que resultam em crescimento pessoal. Orgulhe-se de si.

    ResponderExcluir
  40. Olá Natália, poxa esse texto sou eu, hehehe, começo a axar que esse é um problema q vai além de crise pessoal, é uma crise de geração, sei lá parece que essa geração 80 foi educada para ser criança pra sempre, parece que nunca era p virarmos adultos, se parar p pensar qnd falam em outras décadas vem à nossa cabeça pessoas adultas, mas quando fala de anos 80 nos remetem à brinquedos da estrela, xou da xuxa, trem da alegria e balão mágico, então e agora q estamos nos aproximando dos 30, como vamos fazer para virar adultos?? Só que a maturidade tá aí, chegando, não dá p negar, vamos ter q encará-la, então vamos realmente nos libertar do infantil medroso e abraçar o adulto sereno e seguro... assim espero, um beijo, fiq c Deus!!

    ResponderExcluir
  41. Ah, como são bons seus textos! Que a crise passe logo! beijo.

    ResponderExcluir
  42. Poxa Natalia, adoro seus textos, seu trabalho. É a primeira vez que venho aqui comentar algo, mas estou regularmente por aqui. E esse texto diz muito.. tipo: muito...heheh Crises, são boas, como vc diz... E é verdade, passamos por elas, e eu creio que são elas que selam cada um dos ciclos de nossa vida.... obrigado por isso...

    ResponderExcluir
  43. Natália, ADORO o seu blog e o seu programa.
    Como boa psicótica, me vejo em grande parte das situacoes. Você torna todo e qualquer drama existencial mais leve e divertido.

    Nunca gostei de fazer aniversário, acho que "desaniversários" seriam mais interessantes....
    Conheco o seu irmão e falei hoje mesmo com ele sobre vc. Você manda muito! Keep going like that.

    Ah, se puder, dá um "bizu" no meu blog! (Que termo de "Sex and the city girls")

    www.oliviablack.blogspot.com - Apresento-lhe as "voltas mentais" de uma outra psicótica.

    Beijos e sucesso! Você merece.

    ResponderExcluir
  44. Crises são normais de acontecer. Estranho seria se elas não acontecessem. Eu também estou passando por uma, mas quem não está ou nunca passou por uma?

    Enfim Natália, seu texto está ótimo como sempre, você é uma ótima atriz, pi pi pi e pá pá pá, eu só acho que se você não gostou do gosto desse chá, que o pare de tomar não??

    Abraço \o/

    ResponderExcluir
  45. Acho que todo ser humano quer atingir essa fase de "Uhuuu!!...finalmente cheguei onde Eu queria"...aí qdo chega nela...se pergunta..."Mas é só isso?...tenho de estagnar e aproveitar a fase agora?"...acho que funciona assim...qdo vc alcança seus sonhos e conquista tudo que é de material...parte então pra uma busca espiritual e filosófica...deve ser isso...espero que seja,rs...Sorte menina.

    ResponderExcluir
  46. Às favas com o auto-conhecimento. O que a gente precisa, de fato, é calma, ar fresco, um bom abraço, umas risadas e um copo de cerveja.

    ResponderExcluir
  47. Para os momentos de crise não beba chá... BEBA RUM!

    JOPZ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. euri kkkk mas não deixa de ser um bom conselho !

      Excluir
  48. O engraçado é que quanto mais achamos que nos conheçemos, a vida sempre arruma um jeitinho de nos mostrar o contrário.
    A vida é uma escola e como diz o ditado: "Vivendo e Aprendendo".

    Natália tá de parabéns mais uma vez, o blog tá um arraso.

    ResponderExcluir
  49. Adoro teus textos, sempre tem um por aqui que se encaixa em algum dos meus momentos. Seria bom se tu postasse mais, me deixaria até melhor pra escrever mais no meu próprio blog. Gosto muito de ler teus depoimentos, confissões, pensamentos extravasados. E quanto à crise, bem, ela passa. Tudo passa, tudo um dia passará.

    Parabéns pelo blog. (;

    ResponderExcluir
  50. Oi minha linda. Melhoras.
    Posso não ser íntimo teu, mas és minha. Saiba que sonhei contigo hoje, de novo.
    Seus conceitos transgressivos reverberaram em minha mente fértil uma vez mais, como fogo em gasolina. Numa ignição evidente e previsível.
    Talvez seja esse o fato de eu estar me apresentando.
    Não imaginas o poder que tens em mãos com aquela caixinha transmissora. Afinal estás no meu subconsciente, és parte de mim. Senão você, sua alegoria.
    Te tornas responsável por aquilo que cativas, e você me cativou com seu modo de ver o mundo.
    Sou um guerreiro psicótico, luto contra a minha mente tirana, tento transformá-la em um lugar mais decente para se estar.
    A dualidade me intriga. E a sua abordagem diametralmente oposta dos contrastes da vida me ajudou a compreendê-la. O humor é sua licença para falar do contraditório. E você utiliza com maestria. Obrigado.

    Vejamos a nossa crise. A nossa crise dos 27 é famosa. Cantores morrem nela. A numerologia fala dela.
    As Pessoas Geralmente já escolheram suas carreiras e já deram algum prosseguimento nela. Se a tal carreira não fluiu da forma que pensavam, advém um dilema: Largo tudo e vou fazer o que gosto, ou garanto aquilo que já conquistei?
    Difícil hesitação. Difícil e altamente relevante, uma vez que é decisão pra vida toda.
    Aqui cabe um ditado: O mundo está dividido em dois tipos de pessoas: As que gostam do que fazem, e as que não vêem a hora de largar do serviço.
    Outra questão que ronda as mentes, principalmente femininas, é a idade chegando e a consequente perda iminente da beleza.
    Talvez o desejo de afirmação profissional até se reforce com isso. Mas a insegurança aumenta.
    Naqueles relacionamentos incertos, sobrevém a duvida se aquela é mesmo uma pessoa pra vida inteira.
    Se ela não têm marido, há o risco de ficar pra titia, e se não têm filho, há o risco de ficar pra outra vida..
    É o momento mais provável para situações de krísis, ou seja, decisão.
    Me espanta um pouco você estar em krisis, haja visto o esplêndido relativo-recente sucesso profissional.
    Mas é admissível que as ambições de sua mente psicótica lhe impugnem novas empreitadas, talvez os dilemas da crise dos 27 estejam te importunando, talvez as paredes da casa nova em que moras sozinha lhe sugeriram outras idéias, talvez estejas encantada por certos convites tentadores, talvez estejas querendo falar mais sério ou sobre outros humores, talvez estejas só querendo férias, ou talvez etc.
    Meu conselho pra você, que é muito exigente e focada,e portanto candidata favoritíssima à decepção, é que a vida não deve ter um roteiro extremamente rígido, metículo-programado em cada guideline.
    Onde você é sempre dona e senhora de todas as ações num mundo, parafraseando-a, "Máaagico" e perfeito. Onde sempre "ríamos e ríamos e ríamos" de tudo... Não!
    O mundo, infelizmente, tem cores mais cinzentas do que as suas roupas vibrantes podem conceber. Mais imprevistos e dissabores os quais a gente tem que, felizmente, lidar. E lidando há aprendizado. E com o aprendizado fazemos menos burradas, assim somos mais felizes.
    O desafio, o imponderável, tema da krisis27, é além de benéfico, desejável.
    Aqui você se testa e se conhece. Afloram qualidades e defeitos. Há sim mérito nisso.
    É importante aprender a ser feliz com o que se tem e com as escolhas que se fez.
    Pelo simples fato de que você nunca vai ter tudo perfeito, e não vai ver como seria ter ido por outro caminho. A chave é escolher certo.
    CONTINUA -->

    ResponderExcluir
  51. PARTE II
    Isso vale também para o marido perfeito arquetípico.
    É a chamada projeção do Príncipe encantado. Em cartaz na telas da nossa mente. Lançado pela utopia pictures. O pastelão tragi-cômico têm um início sempre empolgante, mas que vai caindo no marasmo com o desenrolar da história. Pois cada particularidade revelada do príncipe vai circunscrevendo-o a esse ou aquele rótulo. E perdendo gradualmente a graça já que não confere com a do seu avatar mental "Máaagico". Ao ponto em que, desgraçadamente, lá em meados do terceiro ato, ocorre a cena em que a protagonista constata algo repugnante que testa seus sentimentos: Ela se dá conta que "o príncipe não lava o pé, não lava porquê não quer, ele mora lá ...--... em casa já faz um tempo, e eu to meio sufocada com isso e aquele ar de superioridade não me agrada as vezes.. e essa bizarrice dele não lavar o pé é mó brochante, ai será que esse príncipe é sapo heinn?"
    Aí já é tarde, e ela percebe que se arrastou num drama de longa-metragem denso, quando este merecia apenas, quem sabe, um curta de comédia romântica.
    É isso o que acontece de fato, salvo a insalubre parábola, ele se transforma em sapo ou pior.
    Afinal, quem é madura o suficiente pra manter um relacionamento sadio-amigável com o ex?
    E aquela história de "Eu te amo" ? Era mentira. Era balela. O amor carnal viraria, naturalmente, amor fraternal e você teria o ex como irmão.
    Mas não é isso o que acontece. Na verdade o confinamos a uma escura e recôndita gaveta lá nas profundezas do nosso coração.
    Fomos objeto de desejo mútuo. Puro preenchimento de carência afetiva, estado emocional comum dos hominídeos.
    Se não fosse com este estepe serial substituível, seria com outro espécime de qualidade similar. Afinal o mundo tem muita gente. Um melhor marido, não o príncipe, mas alguém mais ajustado a você, pode morar em outra cidade e você nem o conhecerá. É uma questão de probabilidade e geografia.
    Então, se formos sinceros mutuamente acerca do comportamento humano, tendo estes itens, digamos, discriminados no nosso contrato de prestação de serviços sexuais e afetivos, com cláusula de fidelidade, geramos um ambiente mais leve pra se conviver em qualquer tipo de relacionamento. Inclusive os de amizade.
    Admitir que é fundamental se ter aceitação e respeito num relacionamento. Sem hipocrisias e sentimento de posse. Porquê ninguém é de ninguém, alguém simplesmente está com alguém por entendimento, atração, e companhia. A única forma de avaliar se algo é realmente seu é dando-lhe a liberdade. Se voltar é teu, senão, então nunca te pertenceu. A luz do amor se revelará á medida que os sentimentos obscuros se dissiparem. Essas barreiras que tomam a forma de preconceitos, invejas, ciúmes, rancor, vingança somente eclipsam o verdadeiro amor. O amor é a mais sutil das substâncias e só se manifesta plenamente na ausência da densidade.
    É preciso amar como se não houvesse amanhã(disse o Renato, com propriedade), como se não tivesses 27, mas várias décadas mais, quando seus objetos e preocupações serão prioridades secundárias, ao passo em que aos seus olhos se descortinam novos valores.
    Só existem, Nathália, duas idades: Vivo, ou morto.

    Beijo em você viu, Sou Jornalista, li seu blog, vi seus programas e observei seu modo de pensar e estilo humorístico.
    Tenho sugestões de argumento de Roteiro para a SitCom. Inclusive explorando outras patologias. Tentei te contactar mas não consegui. Gostaria que você desse uma olhada.
    thiagoware@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  52. Sei bem como se sente, estou em crise também...Quando você quer tanto uma coisa, se dedica, vive para aquilo, e quando está prestes a conquistar...Bum!!! vem aquela dúvida..será que eu realmente queria isso? isso realmente me serve? eu nasci mesmo pra isso? ou era apenas uma vaidade em querer parecer capaz, que me cega do que eu realmente quero. E então surge outra dúvida...se não é isso o que quero, então o que eu quero? é enlouquecedor, o fardo de se tornar adulto!!! Amei seu texto...

    ResponderExcluir
  53. Texto fascinante!
    Me senti assim muitas vezes,lutando para conquistar algo e depois que consegui ver que o que queria, não me servia mais.
    Faz parte, também, do processo de amadurecimento.
    Tempos atrás li uma frase que dizia que crescer é doloroso, e não estava falando das "dores de crescimento" físicas. Na época não dei muita bola, mas hoje em dia, do "alto" (controverso alguém de 1,60m escrever assim) dos meus 31 anos, percebo a verdade nesta e em outras frases e provérbios que ouvi ao longo da vida.
    Crescer é doloroso, mas também é delicioso. Apesar das incertezas não terem nos deixado enquanto amadurecemos, podemos e devemos ser felizes em qualquer idade. Eu mesma estou curtindo muito a idade que tenho..A graça, o élan da vida é isso, a cada colina escalada e vencida percebemos que há outra, e depois outra.. nunca deixará de haver novidades!
    Abraços, Natalia e parabéns pelo seu trabalho, tanto no blog quanto no seriado, que adoro!

    ResponderExcluir
  54. Olá, amei o blog, muito interessante o post. Já estou te seguindo.

    Bjs,Bruna

    bruhh-castro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  55. Me identifico tanto com seus texto, que as vezes fico em dúvida se você não sou eu!

    ResponderExcluir
  56. http://letras.terra.com.br/kevin-johansen/1116996/traducao.html

    Resumo tudo com essa letra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mto legal essa letra msm.

      Excluir
  57. Nossa, que profundo!!!
    É até inspirador.

    PS: Como é o gosto desse chá???
    KKKK (-:

    ResponderExcluir
  58. Aposto que quando eu tiver 30 vou ficar assim, questionando tdo, ainda mais que eu sou curiosa.

    ResponderExcluir
  59. Acho que crises são normais. Mas na realidade elas nos fortalecem. Eu vivo em crise, e só tenho 26... Crises me acompanham, pela idade, pelo peso, pela falta de relacionamentos amorosos (no que me identifiquei aqui) e por tantas outras coisas. Mas o melhor é que elas passam. Fica o substrato usado para alimentar nossa maturidade e para que as crises mudem.
    Adoro te ler, o blog foi muito importante pra mim por mtus motivos. E um dos foi a forma de encarar as coisas com bom humor, pq eu já tinha parado de fazer isso e de fato o que seria da gente se não rissemos de nós mesmos, neh?
    Bjus

    ResponderExcluir
  60. Meu deus! Marquei hoje minha primeira consulta a um terapeuta, por estar passando por um momento exatamente igual. Todos os objetivos alcançados, a vida inteiramente igual ao que eu escolhi... e agora?
    A resposta esta aí, traçar novos objetivos, buscar novidades e continuar vivendo.

    ResponderExcluir
  61. A vida é uma eterna inconstancia e o ser humano é um eterno insatisfeito, Natália. Eu por exemplo,queria estar no seu lugar ( não, não sinto inveja, só queria ter meus objetiivos alcançados e to longe disso..), já tu, gostaria de estar no lugar de alguém que fez da crise um trampolim pra achar novos objetivos.. e aquele megaempresario bilionário com agenda cheia e stress só queria uma casa no campo. São clichês, mas não ha como escapar deles. Te desejo força, porque se tu chegou até aí antes dos trinta, onde vai estar aos 90, em Jupiter? E olha que tu consegue ;)

    ResponderExcluir
  62. Querida Natália,
    morri de rir ontem com vc no twitter, então aproveito para mandar essa incomum história de amor que vi tambem ontem, do Dr. Drauzio Varella, excelente escritor;
    Sua série está cada dia melhor, muito alegra meus dias; e sobre esse texto da maturidade, só tenho a te dizer que isso acontece porque vc é uma menina-prodígio - normalmente a retomada da consciencia, como diz os budistas chega com uma idade mais avançada - e, acredite, o que não mata, fortalece ;)
    beijos e continue sempre assim,
    Cris

    http://drauziovarella.com.br/wiki-saude/por-amor/

    ResponderExcluir
  63. Realmente,crises são normais e se não tivéssemos elas seria tudo tão perfeito, né? Mais o perfeito não é nada além de tédio. Peraí, pensando bem então minha vida deve ser perfeita porque eu ando num tédio. kkkk
    Crises: não abandone, não se emburre, elas passam, nada demais! Até porque se não passassem logo já seria um "problema" e não mais uma crise,,

    Beijo, Beijo

    http://flordemetro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  64. natalia eu tabem sou natalia e por isso gosto tanto de vc e de adoravel psicose!! adoro!! o cara de bicode!! beijos tchau!!!

    ResponderExcluir
  65. Bom, crises sempre foram "my best friends", sempre tive, como a Nathalia mesmo fala: "várias, tipo várias". Algumas destas crises me ajudam a resolver alguma coisa, outras não... O fato é que tenho 27 também, ja sou pós graduada e ainda não tenho um rumo na vida, faço o que gosto, mas sabe quando falta algo? E nao diog só no financeiro... Alguém já se sentiu estagnada? Sem perspectiva de algo além e também nao digo só ao melhor, mas ao diferente, à novidade, sei lá... Eu sou fascinada ao diferente, e quando este vem unido à novidades diárias, nossa! quase um orgasmo!
    Queria poder dar uma guinada na minha vida, uma radicalizada... Mas infelizmente a idade também nos remete à responsabilidades, e destas são dificeis de nos desvencilhar... Quem sabe com o tempo eu consiga... Minha falha é pensar que tudo tem que ser imediato, agora ou nunca.
    Sigo, tentando encontrar um novo rumo, uma nova vertente, que ao mesmo tempo eu possa encaixar às minhas "responsabilidades" e quando essas não forem mais prioridades me reinventarei da forma mais profana a mim mesma que eu conseguir!
    Segura essa Dra. Frida! kkkkkkkkkk
    Nathalia continue nos enchendo de alegria, seja com seus textos ou com a hilariante psicótica na telinha!!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  66. Texto incrível como sempre Natália!
    E, sobre a crise aos 27, eu acredito que seja a revolução de Saturno (sim, astrologia) que acontece em torno dos 28 anos. Não sei se acredita em astrologia, mas acho que vale pesquisar, nem que seja pra matar a curiosidade.
    :)

    ResponderExcluir
  67. Como sempre, texto incrível!
    Retrata bem o que estou passando também, apesar de não estar nem perto dos 30!
    Boa sorte para todos nós e as crises que vivemos e as que ainda estão por vir...

    ResponderExcluir
  68. Por enquanto, estou apenas preocupado com a minha crise financeira. Enfim, cada um com as suas crises ! Ótimo texto, parabéns !

    ResponderExcluir
  69. Adorei Natalia! Vc sempre acerta. Sou psicóloga e acompanho o blog e, principalmente, o programa desde o início. Confesso que no começo ficava um pouco chateado com toda a psicologização que vc fazia, mas aprendi a gostar, admirar e entender que era um programa de humor, também. Hoje até agradeço por trazer conceitos da Psicologia para o dia a dia das pessoas. Obrigada e muito mais sucesso!

    ResponderExcluir
  70. Sou sua leitora de primeira viagem mais posso dizer que gostei do que li .... e que acredito que todos nos passamos por isso pelo menos uma vez na vida ja me senti assim como voce esta se sentindo e olha que eu sou tres aninhos mais nova que voce mais espero que voce se encontre e continue sendo feliz sou sua fã eu simplesmente e incondicionalmente amo adorável psicose no multishow só posso te desejar tudo de bom ...

    ResponderExcluir
  71. Me sinto ridícula por sempre me identificar com cada texto seu. Será que minha personalidade é tão óbvia, tão comum que eu consiga me encontrar no blog alheio? Sei lá. O fato é que me vi em mais um texto, só que eu tô na crise dos 20 e não dos 30 e já aconteceu/tem acontecido tanta coisa diferente do que eu previa, que no fundo fico feliz por ter mudado tanto. E eu sei que daqui a dez anos o que eu penso hoje vai parecer bobeira, os meus sonhos (ou planos para os mais objetivos) não serão mais os mesmos e eu vou agradecer por isso porque o meu maior medo é estagnar, não evoluir, ficar acomodada em uma situação que só eu possa mudar (e eu não o fazer). Enfim...deve ser um saco ter um blog pelo simples fato de ler comentários como esse. Mas, como você mesma disse que quer ser feliz, desejo isso à você. Ah, e mesmo feliz, não deixe de ser psicótica, nem de escrever essas coisas pra eu poder continuar vindo aqui e dizer como me identifico com suas loucuras...

    ResponderExcluir
  72. Assim como vc estou em crise... no meu caso, de fato é a crise dos trinta, se não for, não sei como definir isso. Crise por não ser como o plano original, crise pro não saber lidar com o inesperado, crise por achar que nada funciona... O bom de se saber em crise é que com ela vem as mudanças, transformações que partem de nós mesmas e que por isso valem tanto a pena.
    Abraços,
    Mulher em Crise
    http://diariodeumamulheremcrise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  73. Natalia !
    Você ta em crise com apenas 27?! Eu completei 29 há 2 dias e, desde então, parece que a vida mudou. Nunca pensei que ter 29 pesasse tanto !!Não consigo para de pensar que em menos de 1 ano completo 30. E o que fiz até agora? O que vai ser daqui pra frente?
    Há 2 dias comecei a acreditar na tal crise dos 30. E, se antes eu me achava preparada para enfrentar a casa dos INTA, agora começo a me preocupar. E a ficar com medo, muito medo. Um ano decisivo está bem na minha frente, e isso muuto me assusta.
    Mas Natalia, não se preocupe...você ainda está longe dos 30. Aproveite seus vinte e alguns, enquanto eles ainda lhe restam.
    Parabéns pelo blog. Me identifico muito com tudo que 'acontece' por aqui.
    Mais sucesso. Beijos, Gaby.

    ResponderExcluir
  74. Natália, graças a minha namorada, eu "descobri" você recentemente. E, vou te dizer, estou adorando sua série e, agora, seu blog.
    Seu texto, de forma geral, é fantástico. Suas atuações também.
    E esse seu texto me deixou... em crise.
    Com 35, ainda falta muito para atingir meus objetivos...
    Se bem que com o passar dos anos, o objetivo mesmo passa a ser só um: ser feliz.
    Você me faz feliz. Apesar do aquecimento global.

    ResponderExcluir
  75. Poxa, 3ª temporada de AP saindo, e cadê os DVD's? Eu ia te ganhar de presente de dia dos namorados, mas não tinha pra vender. Você entendeu. hahaha
    De resto, boa sorte com sua crise. ;)

    ResponderExcluir
  76. Natalia eu conhecia só seu trabalho na teve, e fiquei muito encantada com seu blog. Li, uns 10 textos seguidos eu acho haha. Adorei muito seu jeito de escrever, muito mesmo. E fiquei encantada - entre tantos - com o texto que compara pessoas e tortas. Simplesmente demais.
    Parabéns pelo trabalho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  77. Natália,nesse friozinho estou me sentindo exatamente assim:com preguicinha de levantar cedo,sair tarde e sem ânimo pra trabalhar.Mas,sei que vai passar... assim que mudar a estação,claro!Um grande abraço a você que me faz sorrir e me faz ter ânimo de assistir TV.Juliana

    ResponderExcluir
  78. Essa estação chamada CRISE,
    às vezes é o momento de se ter grandes idéias.


    Natália, você é maravilhosa, aqui na tv,
    te confesso que tu me tira risadas
    qd mais quero é chorar. Obrigada garota!
    (momento tiete)rs, mas é verdade.


    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  79. Bem vinda ao "mundo real" de merda...

    ResponderExcluir
  80. É sempre um prazer visitar o blog Adorável Psicose! Suas palavras são uma delícia de serem lidas, torna qualquer assunto interessante. Viva a maturidade! ADORO!

    ResponderExcluir
  81. Natália simplesmente vá vivendo e sem nenhum plano.Quando nos deixamos nos surprender a vida se torna uma experiência bem mais agradável.
    Acessem meu blog http://loucaporrivotril.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  82. Alicia.
    Minha crise do 27 "passou" eu tenho 28, larguei tudo, vendi metade e vim morar no exterior e estou aqui, sem nada novamente, pronta pra recomeçarem as conquistas.

    ResponderExcluir
  83. Natália, você é uma gracinha menina! Meu marido e eu gravamos AP e revemos sempre juntinhos deitados no sofá. Damos sempre boas risadas juntos e graças a você. E tem algo melhor do que rir com quem se ama? Obrigada por fazer parte desses momentos deliciosos!
    Esteja certa de que toda crise passa e acaba virando ensinamento, ou no seu caso, mais um motivo para fazer seus leitores e fãs morrerem de rir.
    Bjs pra vc, Dra. Frida, para o cara de bigode e para o cara novo! kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  84. Natália adorável Natália, é assim mesmo... mas e quando a crise vem e você não fica feliz? e quando tudo parece perdido e você fica sem... chão, parece que... puxaram seu tapete, arrancaram o piso, e cavaram um buraco nos seus pés e tá tudo escuro? e a única luz que você vê é vermelha? to sem dormir a quase 2 dias, na beira de uma gastrite nervosa, o que fazer? ainda não sei, mas tentar pensar na minha crise como um passaporte para o futuro me ajudou a cochilar as 07:25 da manhã.. obrigada pelo seu blog, continue sendo a adorável psicótica que você é, obrigada por me fazer rir, mesmo com lágrimas escorrendo e deixando meu rosto grudento, não canso de ver sua série. Parabéns pelo trabalho !

    ResponderExcluir
  85. Wow estou vivendo esta crise, mas não a tenho visto com a sua visão. No meu caso ela chegou tarde, tudo vem depois para mim! As mulheres sentem se mulheres geralmente aos 30, eu senti aos 35.. E agora veio a crise ... 37. Estou com 37 anos!!! Eu menti tanto minha idade, vivi tanto números a menos, que hoje eu não sei o que sou... Sempre me dão 10 a menos, eu mudei minha visa há dois anos atras de ponta cabeca, e hoje vivo como se realmente tivesse nos 20... E eu olho e desespero me porque eu não sei o que quero mais, eu olho no espelho e assusto me ( um ano atras eu amava o que via)... Eu não para onde vou, o que farei... Uma bagunça! Espero achar me logo, pessoas programadas para serem certinhas e responsáveis sofrem ao viver muita liberdade na vida :-/

    ResponderExcluir
  86. Oi, também estou numa crise, não, eu não sou muito alta. Pelo contrário eu sou muito baixinha. È muito ruim você chegar na escola, ai vem um palhaço e fala: E ae baxinha! Ai eu dou aquele sorriso bobo e sem graça. Olha que esquisito você percebe que sua escola é um circo, com vários palhaços falando: Nossa como você é baixinha, tem certeza que você não é do 6° ano? Volta pro primário! Xii acho que você errou de sala! Meu Deus você parece uma formiguinha perto daqueles "cavalos" da sua sala... E o pior não é os comentários sem graça das pessoas, o pior é que elas não percebem que eu me olho no espelho todo dia e me pergunto: Por que diabos eu não cresci?
    Obrigada Natalia, eu acho que pessoas que eu não conheça seja mais fácil de falar essas coisas. Seus textos são muito legais, divertidos, interessantes e é tão incrível a facilidade com que eles me fazem esquecer disso tudo! De esquecer os meus problemas e pesar que eu sou melhor do que as pessoas falam por ai...

    ResponderExcluir
  87. eu gostei desse e do aquecimento global.

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira