natalia

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

(Not) Feeling Good


Eu já venho prometendo isso há um certo tempo. Mas sério mesmo. Quero ser uma pessoa melhor.
Não que até hoje eu tenha sido uma pessoa ruim. Quer dizer, eu acho que não. Espero que não. Ai, não me olha assim. Eu só não dei minha quentinha pro mendigo aquele dia porque eu não tinha comido quase nada e era camarão. Poxa, camarão é caro. E eu não tinha nada pra comer em casa. Eu sei, o mendigo também não. Até porque ele não tem casa. Ha.
Mas e aquele outro dia, que o velhinho veio me vender oito balinhas por um real? Hein, hein? Eu comprei, tá! E a única razão de eu ter discutido no meio da rua foi porque ele só me deu sete. Sacanagem, o acordo era oito. Quer ser honesto, vamo ser honesto.
Mas eu queria. Ser uma pessoa melhor.
O problema é que isso implica numa mudança no seu padrão. É como fazer dieta. Você sabe que vai ficar bem melhor com três quilinhos a menos, mas aí o garçom te pergunta se você quer sobremesa e lá se vai sua meta.
Saí do analista decidida a mudar. A partir daquele momento, passaria a me estressar menos e a dosar mais minhas reações. Até descobrir pelo Twitter que uma menina havia criado um blog homônimo ao meu.
Lembro de ver pelo celular uma resposta desaforada da mocinha e subir a minha rua ansiosa para rebater. Cheguei em casa e corri para o computador. Mas no instante seguinte, logo após enviar as mensagens, senti o oposto do que esperava. Não fiquei aliviada, muito pelo contrário. Me veio um sentimento ruim, uma sensação de que eu tinha agido como uma idiota.
Meu analista me disse (meu analista me diz muitas coisas, às vezes eu tenho a impressão de que ele fala mais do que eu) que para uma estratégia dar certo, é preciso pensar na tática. Ele usou alguns exemplos de futebol, mas eu tenho um incrível dom de abstrair qualquer informação relativa a esse assunto.
Brigar com a mocinha pelo Twitter foi um erro tático. Foi um baita retrocesso na minha estratégia de me tornar uma pessoa melhor.
Porque ser uma pessoa melhor requer disciplina. É tipo ir pra academia. Faltou um dia, faltou dois, já era. Vai ter que começar do zero.
Hoje é meu dia zero.


FEELING GOOD - Nina Simone

14 comentários:

  1. Saudade de te ler!
    Finalmente atualizou!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Boa sorte..Tb tento, mas não consigo..Bju!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, super me identifiquei aí. Tanto com o ser uma pessoa melhor, como o exemplo da academia. Abandonei os dois e né, QUANDO conseguirei começar de novo???

    ResponderExcluir
  4. Mas sempre se pode recomeçar...A vida está aí pra isso mesmo.
    Bjo Jú.

    ResponderExcluir
  5. To sleep in peace when day is gone. Esse é todo o sentido mesmo. Parabéns pelo blog, e boa sorte na tentativa. Babysteps (ou AA): um dia de cada vez.

    ResponderExcluir
  6. Essa é a minha busca incansável até o meu último dia na Terra. Lutar contra o miserável instinto humano. A meta é ir embora com um degrauzinho de pelo menos um cm acima do que eu estava quando cheguei. Perseverança!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. FALTA TANTO PRA 17...
    ANSIOOOOOOSA? EU TÔ!
    UM BEIJO

    ResponderExcluir
  8. Acho que todos nós estamos nessa luta constante..kkkkk..Beijoss!!

    http://thaismourashoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Relaxa. As vezes acontecem de zerarem-se os dias. Diversas vezes. Mas ninguém há de ter pressa.

    ResponderExcluir
  10. HAHA. Se te serve de consolo (mão vai servir) eu me diverti com briguinha no twitter.
    Eu acho isso de bem e mal muito relativo, devemos mudar o que nos faz mal e só por isso, não por causa dos outros, porque os outros não mudam pensando na gente, né?
    Eu admiro você, gosto do seu jeito livre e divertido (soou sapata!) mas sei (meio que por experiência própria que gente assim se fode mais.

    (: p.s: Sei que você não vai ler, mas foda-se (não você porque não vai ler, a situação...)...

    ResponderExcluir
  11. Seu post me lembrou o filme Sentimento de Culpa. Hilário..

    Na verdade vc ia gostar mto, eu acho. Eu e Fil ríamos de passar vergonha no cinema :)

    ResponderExcluir
  12. Acho que o maior problema da mudança não é fazê-la, mas sim mantê-la por tempo indeterminado. Uma sugestão para conseguir isso, é acostumar com mudanças, começar pequeno e aos poucos ir aumentando. ;)
    Beijos e parabéns pelo blog

    ResponderExcluir
  13. Assisti a sua entrevista no Jô essa semana, adorei e super me identifiquei.Você disse em entrevista que a série Adorável Psicose começou a parti do teu blog também chamado Adorável Psicose no dia seguinte corri para computador e assim que comecei a ler me deu uma sensação de alívio por saber que existe pessoas que pensam parecido como eu, que é normal esse tipo de "loucura" e foi super terapêutico.Obrigada pela ajuda!!! Beijos e um bom final de semana.

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira