natalia

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Einstein, monstros e fome, muita fome


Eu acho que foi Einstein que disse - ou a internet atribuiu a ele - que é loucura fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes. E é claro que segundo Einstein - ou seja lá quem falou isso - eu sou completamente maluca.
Outro dia fiz um teste de sociopatia e passei, claro, que eu não vim ao mundo pra ser reprovada em teste nenhum. Uma das perguntas era se eu aprendia com meus erros. A resposta é: sim, eu deveria, eu inclusive sei quando estou prestes a fazer uma coisa errada, mas não consigo me conter. É como se uma força me puxasse para as profundezas do inferno e uma monstra assumisse temporariamente meu lugar. O problema é que quando a monstra vai embora não sobra ninguém além de mim para lidar com os destroços que ela causou.
Estou fazendo dieta há duas semanas e isso não me deixa nada feliz. E nada desperta mais um monstro interior do que a fome, podem ter certeza. Há quinze dias eu vivo literalmente em função de quanto tempo falta para a próxima refeição, lanche, unidade de castanha, qualquer merda comestível. Três horas passaram a ter um novo significado na minha vida: desespero.
Há dez anos, eu perdia cinco quilos em uma semana. Mas a 41 dias de fazer trinta, a matemática não é muito animadora. E foi isso que me fez pensar na frase do Einstein. Ou da Valesca Popozuda, até onde se pode confiar na internet. Se é realmente loucura fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes, eu só poderia ser insana de repetir todos os dias a mesma sequência inerte da depressão. Perder a mesma quantidade de tempo enrolando em vez de trabalhar com disciplina. Ficar jogada no sofá e reclamar que não faço nada, mas que amanhã com-certeza-talvez irei à academia. Pedir comida que não vale o que custa em vez de fazer a minha própria. E reclamar. Reclamar pra cacete.
Hoje eu fiz diferente. Hoje eu tomei coragem e fui à academia pela primeira vez em quase um ano. E fiz minha própria comida, limpinha, saudável e deliciosa - porque poucas pessoas sabem que eu sei cozinhar quando eu quero. Não posso dizer que não enrolei quase o dia inteiro e rendi menos do que deveria no trabalho, mas vamo lá, um passo de cada vez.
Segundo Einstein - ou Clarice Lispector - basta mudar uma coisa na sua rotina e pronto, você não é mais maluco. Meio naquela onda efeito borboleta de que um novo elemento, ainda que mínimo, pode mudar completamente o curso das coisas. Não que eu entenda bem desse assunto, mas sou a rainha da Wikipédia. E de acordo com a sabedoria popular da internet, eu vou ficar bem. Mas a verdade é que eu continuo com fome. Muita fome.

O texto acima foi escrito originalmente para meu blog novo "7 Metas para 2015", que a partir de agora será incorporado pelo Adorável Psicose.

16 comentários:

  1. Oi Natália! Caso você esteja lendo esse comentário enquanto você claramente poderia estar finalizando algum trabalho, eu queria dizer que me encontro na mesma situação (não que você se importe, claro) e ler esse texto me fez analisar uma série de coisas na minha vida e nas oportunidades que perdi por simplesmente não conseguir sair da inércia. Eu realmente espero que a estrondosa sabedoria popular da internet esteja certa pois eu estou prestes a mudar alguma coisa na minha rotina. Me senti tentado a me sentir bem (??). Ainda não sei o que eu vou mudar, provavelmente vou começar um blog (ok, não é a melhor maneira de começar uma mudança, mas quem se importa? Eu não! E nem você!). E se essa bendita sabedoria popular estiver errada eu vou voltar nesse mesmo post e dizer que a sabedoria popular da internet está errada pra que as pessoas possam continuar sentadas com seus traseiros enormes no sofá reclamando e reclamando e reclamando. Por que reclamar é muito bom! É BOM DEMAIS DA CONTA! E pela primeira vez eu estou disposto a parar de reclamar e mudar alguma coisa nessa palhaçada que a gente chama de vida. Então por favor, se você achar que Eistein (ou Clarice Lispector, ou a sabedoria popular) estava errado, avise aqui, pois vou parar imediatamente de mudar as coisas e apenas reclamar, pois como eu já disse: reclamar é bom pra cacete! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Já são quase 15h. Esperando pra comer aqui tbm. ��

    ResponderExcluir
  3. Que bom que voltou. Tô de dieta e entendo tudo. Há algumas semanas eu decidi que esse será o ano da disciplina e bem, comecei a dieta, não estou falando a faculdade e não estou enrolando no trabalho rsrs pra justamente ver se algo melhora. Se algo muda. Porque não dá pra estacionar na vida assim, tudo é breve e um tremendo tédio por si só. Tem que ser melhor! Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Boa sorte,Querida!!!Você vai precisar!!!!Não sei bem se o fator sorte realmente conta....(mas na duvida)a verdade é que me identifiquei inteiramente com você.Estou com 48 anos,e não quero te desanimar(porque detesto que façam isso comigo)mas com o passar do tempo....se não fizermos algo....a tendência é piorar(e muito).Já fiz meditação,para mandar para o além,meu sabotador interno,mas ele deve achar que não existe lugar melhor no mundo(ou no além)que lhe de mais atenção e faça suas vontades,que na minha cachola.Nesse exato momento,estou pensando no que vou comer....é claro que nem pensei numa fruta,num suco detox,ou numa banana com canela no microondas.Tenho uma Amiga(magra é claro)que quando ofereço água antes do almoço,ela diz que não vai tomar senão perde a fome...certamente não viemos do mesmo planeta :)

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Que os demônios levem pra longe toda nossa fome fora de hora. Ou que tragam logo comida pros nossos buchos. Amém!

    ResponderExcluir
  7. Um texto de Natalia Klein é mais raro (e mais valioso) que um diamante kkkkk

    ResponderExcluir
  8. Existirá uma hora em que sua fome será apenas uma lembrança.

    ResponderExcluir
  9. ufa ainda bem um texto por aqui....pelo menos algo bom nessa dieta!

    ResponderExcluir
  10. Obaaaa!!!!!!! O Adorável Psicose está de volta! Uhu!

    Natalia, tenho um monstrinho, ou monstra assim como você, que faz-me repetir velhos erros - quando eu poderia estar cometendo novos, kkkk - mas ainda tenho a ilusão de que posso ser mais forte.
    Abraços
    Mari

    ResponderExcluir
  11. Que saudade te ler seus textos, entro toda semana aqui para ver se tem algo novo, e minha felicidade foi completa hoje rsrs.
    Sucesso em sua nova jornada, pois também estou na mesma.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Obrigada por voltar com blog, seja lá o que tenha feito você ter feito isso. Também estou com fome, mas não vou à academia e nem faço minha própria comida. Vou tentar entrar nessa onda do efeito borboleta aí. rs Valeu, Natalia.

    ResponderExcluir
  13. Tbm estou de Dieta! Comecei no Natal e quero passar pela Páscoa... só pra ver o quanto consigo me torturar por estar gorda demais, rs.
    Hoje de manhã acordei decidida:
    -Dieta escrota, te odeio! Desisto, vou comer chocolate hoje! (Passei pelo espelho do banheiro e percebi o quanto já emagreci)
    -Dieta, sua linda! Vou fazer um suco! :)

    ResponderExcluir
  14. Que demais que vc voltou a escrever! Uhu!
    Melhor novidade do ano até agora!

    ResponderExcluir
  15. E aí, tem quase 1 mês desse texto. Como vão as coisas?? Ta conseguindo cumprir as 7 metas?

    ResponderExcluir
  16. Fiquei feliz de ver texto novo (nem tão novo) por aqui. Me identifiquei (como -quase- sempre) com teus textos. Espero que tenhas tido sorte com a dieta.
    Quando casei em 2007 eu tava no auge da minha produção de colágeno e super magrinha, tipo magra de ruim, sabe? Depois engordei horrores.
    Malhei, fiz pilates, dança, alguns tratamentos estéticos que funcionaram tão bem quanto "trago a pessoa amada em 3 dias" e também paguei a academia e não fui, afinal ir e suar pra caramba não tava adiantando de nada. Me separei e sem esforço algum perdi TODOS aqueles malditos quilos que tinham se apegado a mim. Nossa... se eu soubesse antes.

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira