natalia

domingo, 11 de março de 2012

Old style


A loja está em liquidação. Todas as peças com 80% de desconto. A mulherada avança ensandecida em direção às araras, enquanto eu flerto graciosamente com um vestido que repousa, lânguido, sobre um dos cabides. Vou até ele, tentando não demonstrar a ansiedade que me consome - mas, principalmente, tentando não chamar muito a atenção das outras mulheres -, e inicio o contato físico. Minha pele aprova. A atração é inegável e não me resta outra saída senão sucumbir aos meus desejos. É quando ouço em minha mente um som de disco arranhando.
"Esse vestido é da coleção nova", avisa a vendedora, vaca quebradora de clima.
Se você chegou neste ponto do texto e vem a ser um homem heterossexual, eu explico. "Coleção nova" não significa apenas que o vestido não está com 80% de desconto. Significa que ele custa uns 80% a mais do que o preço considerado razoável. Significa que você foi vítima da pegadinha mais clássica da queima de estoque: se apaixonar pela roupa errada.
Eu sempre faço isso. Me coloca numa sala com trezentos vestidos e eu só vou olhar para aquele está além do meu orçamento. Transponha essa situação para a vida afetiva e voilà. Temos aí o cerne da minha infelicidade no amor.
Mas não é que eu escolha errado. As roupas da coleção nova são ótimas e vestem bem. Só que geralmente custam caro. É como se o preço que pagamos por elas estivesse associado ao capricho de possuirmos algo difícil. Queremos conquistar mais do que uma mera peça em liquidação. Queremos algo especial.
Pelo que me lembro, nunca me apeguei a homens em ponta de estoque. Aqueles rodados, que circulam por vários corpinhos, dos gorduchos aos mais sarados, sem nunca encontrar quem lhes vista bem. Eu gosto das peças únicas, que você bate o olho e sabe logo que são diferentes. Aquelas que você tem tanta certeza de que vão dar certo que poderia levar para casa sem nem experimentar.
O problema é que os homens da coleção nova são superestimados. E aquele encantamento inicial da loja se dissipa nas primeiras falhas que você encontra na costura. Ou quando repara em um corte equivocado na manga. Alguns desbotam na lavagem, outros deixam manchas no restante das roupas. Assim, o investimento na conquista de alguém que consideramos ser uma peça especial nem sempre vale a pena.
É por isso que há tempos não faço compras. Não chego a dizer que é por medo de me decepcionar com os vestidos que se encontram por aí nas araras. É mais por preguiça de experimentar à toa. Por cansaço mesmo.
Na falta de tempo e de paciência, talvez valha mais a pena sair carregando vários com 80% de desconto. Pelo menos assim não criamos expectativas. Sabemos que o material não é de qualidade e que não vai durar.
Sem querer ser saudosista, ainda mais de uma época que eu não vivi, mas o fato é que não se fazem mais roupas como antigamente. E apesar dos sombrios tempos da descartabilidade, na moda e no amor, eu sigo old style.

55 comentários:

  1. "Apesar de tudo, na moda e no amor, eu sigo old style."
    Bem eu! u.u
    Amei esse blog e confesso que ainda não conhecia. :)

    ResponderExcluir
  2. Natalia, nós te amamos!

    ResponderExcluir
  3. Natália, pare de viver a minha vida!hahahahah

    ResponderExcluir
  4. Cara psicótica,fico feliz em saber que gosta de peças únicas,entretanto,tendo em vista seus comentários posteriores,fico pensando se vale à pena ser! Sim,eu me acho "uma", ou melhor, tenho certeza que sou único! Enfim,parabéns por mais um inteligente post! Beijos únicos...ou vários!

    ResponderExcluir
  5. Paula: Também ando com uma preguiça de experimentar roupa nova...
    Morrendo de saudades da série...

    ResponderExcluir
  6. O problema é que o old style, é old...
    Hoje em dia tudo o que fazem é imitação. Estamos no mesmo barco furado!

    ResponderExcluir
  7. Achei incrivel quando você diz "pelo que me lembro, nunca me apeguei a homens em ponta de estoque. Aqueles rodados, que circulam por vários corpinhos, dos gorduchos aos mais sarados, sem nunca encontrar quem lhes vista bem. Eu gosto das peças únicas, que você bate o olho e sabe logo que são diferentes."
    Esse é o problema, esta tudo muito igual, e os que são diferentes todos(as) querem, eu não gosto do "mesmo", a diferença reprenta olhares e todas querem, e quando vc ve, o diferente se torna igual, e todas si veste da mesma forma, e você não ultiliza mais por que ja esta velho.

    ResponderExcluir
  8. Incrível a capacidade que você tem de envolver e fazer a gente se ver na mesma situação. Saudades da série!

    Natalia, pare de viver minha vida [2] HAHAHA

    ResponderExcluir
  9. Olha só...tem a Dra. Frida cantando no fim do post!
    Gostei!

    ResponderExcluir
  10. Sigam o twitter da Dra.Frida que é @Dra_Frida.

    ResponderExcluir
  11. Não dá pra generalizar. Como existem as peças da nova coleção que vem com aquela costura malfeita, ou com uma estampa que descola, tem também as peças surradinhas da velha coleção, que você não dá nada no início, mas que antes mesmo do primeiro uso, só te surpreendem.
    Beijos psicóticos.

    ResponderExcluir
  12. Seguindo um outro ppensamento, pode-se afirmar que os vestidos de liquidação são aqueles que ninguém quis enquanto eram a "última moda". Sendo assim, quem os adquiri não segue a maioria, tem opinião própria. Esse é um vírus do capitalismo, quase nunca paramos pra pensar que nem sempre o lançamento irá nos agradar mais do que o velho...

    A Sábia Ignorância:
    http://asabiaignorancia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Fantástico! As always!
    Olha o que escrevi sobre você e o seu programa: http://www.anitabemcriada.com/2012/03/adoravel-psicose.html
    Bjim, ANITA

    www.anitabemcriada.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Gt, oi Natália.
    Tb gostei do texto, mesmo com o toque egocentrico e sexista. Também há mulheres, não só homens, em com desconto de ponta de estoque viu. Cuidemos nós, dos nossos predicados, para não sermos classificados assim... Bjos.

    ResponderExcluir
  15. Pelo que me lembro, nunca me apeguei a homens em ponta de estoque. Aqueles rodados, que circulam por vários corpinhos, dos gorduchos aos mais sarados, sem nunca encontrar quem lhes vista bem. Eu gosto das peças únicas, que você bate o olho e sabe logo que são diferentes. Aquelas que você tem tanta certeza de que vão dar certo que poderia levar para casa sem nem experimentar.

    SUPER-ME-IDENTIFIQUEI.

    ResponderExcluir
  16. Natália sempre arrasando...
    Me disseram que sempre escolho o mais caro e que tenho que dar chance ao mais barato...
    Tem muitas amigas que investiram no mais barato e sei lá viraram peças vintage...
    Coisa para se pensar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. MEU DEUS VOCÊ TEM UM BLOG!

    Desculpa o caps, mas eu estou chocada. Digo, jamais imaginei que teu programa tivesse se originado do teu blog. Acho simplesmente hilário e recomendo pra todo mundo.

    Estou muito feliz com essa descoberta! Vejo que tenho bastante pra ler e já adorei esse primeiro texto. E, caramba... você citou Etta James. Ela é minha cantora favorita (uma das). Não podia ser melhor. E adorei o texto. Ótima sacada...

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  18. seus textos sao mto bons!!! me viciei em adoravel psicose! parabens!!! marina

    ResponderExcluir
  19. Natália...adooorei o texto...mega saudades da série!! Ansiosa para Abril!! Todos os dias venho aqui e vejo se tem algo novo...e olhaaaa...texto novinho em folha!! Fez uma pessoa feliz numa segunda-feira! Um beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  20. Natália pare de viver a minha vida #3!
    Excelente texto! :)

    ResponderExcluir
  21. Texto Excelente!
    Natália Pare de viver minha vida!!! :)

    ResponderExcluir
  22. A cada post seu, me convenço de qts Natálias (me incluo, claro) existem por aí.... caraca....
    Adoro teus posts!!!! Vc deveria ser uma Dra. Frida!!!!!!

    ResponderExcluir
  23. Ficamos felizes em perceber que seu ex futuro relacionamento não deve ter dado certo !
    Pode desabafar com a gente a vontade.
    Mais uma vez, muito boa a trilha sonora do post! Aconselho a todos sempre darem o play antes de começarem a ler.
    A musica me fez visualizar voce em slow motion olhando para o vestido e indo em direção a ele enquanto a mulherada se estapeava ao seu lado pelas outras coisas.

    ResponderExcluir
  24. at last é, simplesmente, uma das melhores músicas já gravadas. muito bom, natália.

    ResponderExcluir
  25. Excelente analogia...penso como você também, e confesso que sempre me achei muito exigente em relação à isso. Por conta disso, tentei baixar o nível de exigência e andei "comprando" uns modelitos que estavam na liquidação...queria fazer um teste, de repente eu estava errada em relação à alguns quesitos...mas adivinha...rs? Foi como previa...um fiasco! Então, hoje resolvi mudar de tática, resolvi que eu seria a tal peça única...aquela desejada e bem cotada no mercado...rs! Ainda estou em processo...rs...espero que dê certo. Se der eu compartilho a receita aqui...

    Sou sua fã...bjos e se cuida!

    ResponderExcluir
  26. Belo paralelo,e uma conclusão sensacional. Parabéns

    ResponderExcluir
  27. Natália me responde por favor, por favor Natalia, por favor, por favor, por favor Natalha, por favor....
    .....O que o Carade Bigode ta fazendo na novela das 8 da rede globo? e o que é mais impressionante: sem Bigode!
    E a Carol, eu tava zapeando e subitamente vejo ela na MALHAÇÂO!
    Malhação Natalia!
    é o fim dos tempos!
    Sé falta encontrar o Diogo na TV Globinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk não assisto malhação e fiquei decepcionada em saber, o cara de bigode na malhação, é o fim dos tempos mesmo... eu sei que precisa ganhar dinheiro mais escolhe um programa melhor para trabalhar.

      Excluir
    2. Ôrra tá de sacanagem? O caradebigode nasceu pro Malhação !!
      Bem, mas não é não, é na das oito. Tá valendo. Se Bento Ribeiro fez..

      Excluir
    3. Eu também vi.... kkkk, achei o máximo. A fila anda uai ! Deixa o homem trabalhar.

      Excluir
  28. Malditos homens em liquidação!

    ResponderExcluir
  29. Oi Natália,
    Adorei teu texto. Também me sinto assim em relação as promoções de roupas. A gente entra na loja por causa da promoção e não leva nada porque o que a gente gosta não está na promoção, fato.... hahahahhahahahahah. Saudades. Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Érica Letícia Teles13 de março de 2012 13:38

    Oi Natalia de tanto ler "Eu leitora" da revista Marie Claire fiquei traumatizada com as coleções novas... mas com você é diferente, lendo os diagnósticos não me sinto tão louca, aqui me considero até bem normal. Beijo, belo texto.

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Perfeito!!!
    Adoro seus textos, seu jeito de escrever.
    Simplesmente genial este texto.

    ResponderExcluir
  33. E com a música da Etta James então, me ganhou ! Adoro suas analogias.
    Também tenho evitado as compras, é porque eu fico entediada só de pensar que a roupa da coleção nova vai perder a graça e as roupas da liquidação não me atraem.
    Mas no fim, eu sinto a mesma coisa que você: "Sem querer ser saudosista, ainda mais de uma época que eu não vivi, mas o fato é que não se fazem mais roupas como antigamente."

    ResponderExcluir
  34. Já vi homens ser comparado a sapatos, mas roupas? Só você mesma! =)

    ResponderExcluir
  35. Natália Klein! Teus textos são incríveis! Inteligentes e engraçados. Virei fã do programa de TV e só depois descobri o blog...veja só quanto tempo eu perdi!!! Mas antes tarde do que nunca (ok, ok... ditado manjado! Mas verdadeiro!). Parabéns pelo talento que tu tens! Correndo o risco de ser piegas, mas preciso dizer que sou super fã (tipo...suuuuper!!! Hehehe). Bjs e mais e mais sucesso!

    ResponderExcluir
  36. Ai, os homens em liquidação. Será que é verdadeira a máxima "antes só do que mal acompanhada"? Tenho escutado de algumas amigas, casadas, que outras amigas, solteiras, o são porque escolhem demais. Eu, na condição de expectadora que não revela seu estado civil, digo que compras em liquidação, na maioria das vezes, só nos fazem gastar dinheiro com algo que não vale a pena. Ou fica parado no armário, ou estraga na primeira lavagem.

    ResponderExcluir
  37. Ótimo texto, Natália! Estava com saudades de algo algo assim. :o)

    ResponderExcluir
  38. Sábia Natália, definiu A fase que brilha em neon brega bem no meio na testa da gente: "Eu pego caras 80%. Confesso, sorry, fazer o quê né."

    ...

    ResponderExcluir
  39. Amei "melhor andar com os vários de 80% de desconto". O famoso barato que sai caro rsrsrs

    ResponderExcluir
  40. Tbm andava cansado das roupas promocionais e das superestimadas mais ainda. Mas depois de manter meu cartão de credito obsoleto e ficar um ano old fashion, vi aquela roupa que acariciou minha pele e fez meu olho brilhar. Peguei, toquei, arrisquei, sorri tenso, saquei o cartão e resolvi desembolsar o valor do risco! E a roupa nao desbotou, nao cedeu, nao encolheu, nao manchou minhas roupas. Ao contrário, ficou com cores mais vivas e coloriu meu mundo!! Promoções, nunca mais!

    ResponderExcluir
  41. Jesus, toda vez que venho aqui fico espantada com sua capacidade de se expressar!

    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  42. Caramba é impressionante a facilidade que vc tem de expressar exatamente o que pensamos....Adoro ler!!!E as músicas....sensacionais!!
    PARABÉNS

    ResponderExcluir
  43. Old Style. Mas "at last"...
    Ótimas suas sugestões de músicas. David Bowie e outras cacetadas.
    Tão.

    ResponderExcluir
  44. Experimentei um vestido lindo semana passada. Acabamento impecável, ótima costura, olhos azuis e foi pra California ontem... Assim como você , eu costumo me apaixonar pelo vestido da coleção nova dentre tantas peças em liquidação. O que fazer, escolher um qualquer da liquidação? Ou continuar voltando pra casa sempre frustrada por nunca conseguir o vestido bonito que eu queria ter pra mim? Aliás, ele existe?

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira