natalia

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Da Série: Rapidinhas da Psicótica


Estava numa conversa animada com uma amiga e, por alguma razão que começa com cer e termina com muita, muita veja, resolvemos falar sobre homens. Perguntei se ela sabia onde se achava gente interessante na cidade, ao que ela respondeu, num suspiro:
"Ai, amiga, os homens são de Marte, né?"
Fiquei em silêncio por alguns instantes.
"Marte?", repeti, indignada. "Que porra é essa de Marte? Eu só queria que você me indicasse um bar, eu hein...", completei, levantando-me para ir ao banheiro.
De onde tiraram essa ideia de que os homens são de Marte? E ainda vendem isso como auto-ajuda! Só não sei que ajuda é essa, sair dizendo para uma porrada de mulheres desesperadas que a única chance que elas têm de achar um homem é indo para outro planeta. O que, aliás, dá um novo sentido ao conceito de "corrida espacial".
Se os homens realmente forem de Marte, eu vou começar a pegar mulher. Sério. Morro de medo de ET...

17 comentários:

  1. Adoooooro!!! Tbm se os homens são de marte viro viada de vez! =p

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Seus posts são minhas risadas tarde da noite em casa!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tá preocupada com o quê, criatura?!
    Eles já estão entre nós!
    Precisa ir lá não... se bem que deve render um belo bronzeado, rsrsrsrrs.

    ResponderExcluir
  4. Good for you (on the going gay thingy) :P

    ResponderExcluir
  5. Cherie,

    já tô ficando preocupado contigo! acho melhor a gente antecipar aquele encontro, antes que vc faça alguma coisa (mais uma) da qual possa se arrepender depois...

    ainda bem que depois de muita 'veja' vc esquece das coisas que faz! :P

    ResponderExcluir
  6. Querendo ajuda para entrar pro Lado Negro da Força, é só falar! Gatinha e bem humorada, seria bem-vinda ao clube!
    :D

    ResponderExcluir
  7. kkkk..ai ai ja arranjou pretendentes (A) por aqui..e calma, calma, n sou eu!!rs..

    ResponderExcluir
  8. também me irrita muito esses papos de auto ajuda, ...ai, não tenho paciencia...post perfeito, mas o que tem mais é mulher do outro planeta também, é melhor ter cautela rs. Vambora procurar os lugares animados, e se esconder de gente chata, beijos!!!
    P.S: "começa com cer e termina com muita, muita veja..." esta frase animou meu ano hahahahaha

    ResponderExcluir
  9. descobri esse blog um dia desses e estou viciada. :)

    ResponderExcluir
  10. Peraí, isso aqui virou chat de pegação?!? Realmente, me surpreendo mais a cada dia com esse blog (de maneira positiva, claro).

    ResponderExcluir
  11. hahahahaa

    Já vou começar a fazer um curso na NASA

    ResponderExcluir
  12. fui me inscrever pra virar astronauta e volto já!

    ResponderExcluir
  13. Normal. Sempre a gente tá naquela fase medonha da vida essas auto-desajudas empurram mais aindo pro fundo da picininha de mil litros onde a gente não consegue nem se afogar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. I. Filković,
    Então você é o IP da Austrália que me intriga há semanas! Bem-vinda!

    Alice e WickedTwins,
    Guarda meu lugar aí. Nunca se sabe...

    Nanda,
    Caraca, verdade! Não tinha pensado nisso. Alice e WickedTwins, podem cancelar o pedido. Suas aliens de Vênus!

    Cris Chevriet,
    Eu ainda fui modesta e coloquei "muita" só 2 vezes...

    Marilia,
    Então seja bem-vinda e volte sempre!

    Beijocas a todos!

    ResponderExcluir
  15. ih, mas logo esse assunto... eu li o livro. pronto, falei. metade, confesso. mas entendi o cerne da coisa, o X-Y da questão. faz sentido, juro. em resumo:

    1- a psique feminina é mesmo diferente da do homem. vi no Discovery Channel (sério, sem sacanagem), que o cérebro masculino tem mais neurônios, mas ele funciona matricialmente, tipo impressora, tem que completar primeiro uma tarefa, depois passar pra outra. nós temos menos neurônios, em compensação somos multitarefa, podemos organizar as tarefas de modo lógico, de acordo com o tempo necessário e a complexidade da execução.

    2- homens e mulheres falam línguas diferentes, quer dizer, existem as mesmas palavras e expressões, mas o significado é diferente. na estorinha do livro, homens de Marte e mulheres de Venus resolveram se encontrar no meio do caminho - a Terra e, percebendo as diferenças de sentido, escreveram um dicionário de desambiguação. só que este manual importantíssimo se perdeu, por isso vivemos a Babel que é a relação homem-mulher.

    fábulas à parte, faz sentido: quando nós mulheres temos um problema, geralmente choramos no ombro de uma amiga, da irmã, do amigo gay, da terapeuta, da cabeleireira... não necessariamente buscamos uma solução, ou porque não há nenhuma, ou a que existe não é factível, ou podemos viver com aquilo, tipo, um trabalho chato, por exemplo, só queremos compartilhar nossas dores, ouvir opiniões de nossas companheiras que passam por problemas semelhantes e ver validados nossos sentimentos a respeito do assunto.

    o problema é que a gente chega em casa e fala pro marido, nossa, que dia horrível no trabalho. o homem vê, MESMO, a situação de maneira diferente. o homem é movido pela solução de um problema. ele provavelmente vai dizer "troca de emprego se você não está satisfeita". aí você fica indignada porque só queria um abraço e como é que ele pode ser tão insensível assim, não é o trabalho, são meus sentimentos e ele não dá a mínima. você fala isso alto, talvez já com lágrimas nos olhos. e ele não entendeu nada. sério. ele achou que estava te ajudando com uma solução.

    a mesma coisa acontece quando ele tem um problema. ele vai se concentrar só naquilo, até resolver. você, como boa venusiana, vai querer dar apoio, oferecer seu ombro pra ele chorar, dizer, fala comigo, como você se sente e ele provavelmente vai desconsiderar isso e entrar no momento caverna, ignorar você. e você vai ficar indignada, como ele pode ser tão insensível, eu estou aqui, dando carinho, dando meu apoio, e ele é tão frio, grosso comigo. e vai ficar ainda pior, porque quando ele sair da caverna com o problema resolvido, vai te tratar como se nada tivesse acontecido, todo feliz e cheio de amor pra dar. e você vai achar um displante, um desrespeito, uma cara de pau, me trata assim agora vem querer me comer, agora eu é que não quero e brigar com ele. e ele não vai entender nada. sério.

    bom, está grande pra um resumo, admito. tem muito mais coisas interessantes, mas fica pra um outro diagnóstico. por enquanto, devo dizer que meu "homem que está ficando" adorou a história do momento caverna e me achou maravilhosa por entender isso. entendeu também que às vezes eu só quero um chamego, e não uma solução, mas eu sempre peço claramente (ele não é adivinho...). de minha parte eu ajudo sutilmente no momento caverna, apresentando soluções alternativas, plausíveis, factíveis e criativas pros problemas dele. funciona!

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira