natalia

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Velha Demais


Tirando minha tia avó e alguns pedreiros, ninguém nunca me chamou de "meu amor". E tenho certeza de que nunca disse o mesmo para alguém que não estivesse furando o meu lugar na fila: "Meu amor, cai fora daí". Ou alguém que não fosse uma bicha cabeleireira: "Corte joãozinho? Mas nem morta, meu amor". Ou se não fosse para argumentar com uma mulher muito chata: "Meu amor, olha só, pra começar você é gorda".
Vou fazer vinte e cinco anos e nunca tive um relacionamento de verdade. Talvez eu seja nova demais para me preocupar com isso. Em compensação, já tenho idade suficiente para querer ser velha em alguns momentos.
Como quando alguém me chama para ir ver Los Hermanos. "Já tô velha demais para essas coisas", eu respondo. Não que antes eu tivesse alguma vontade de ir, mas agora eu adquiri o passe. Finalmente, tenho o direito de dizer "não".
Boate muito cheia, sem lugar para as pessoas se mexerem: "Tô velha para essas coisas, gente". Aniversário da pessoa mais insuportável do trabalho na quarta-feira à noite: "Desculpa, mas é que eu realmente tô velha demais para essas coisas".
Acho que essa é uma das grandes vantagens de ficar velho. Quanto mais o tempo passa, menos você se sente compelido a fazer o que não quer. E, de quebra, ainda ganha a desculpa perfeita. "Estou velho demais" é um argumento inquestionável. A pessoa não vai discutir com alguém que está velho demais. Pelo contrário, isso é quase como um "respeite meus cabelos brancos". Só que, nesse caso, tá mais para "respeite todos aqueles anos em que eu saía peregrinando de bar em bar, depois ia a uma boate, dançava a madrugada toda e só voltava pra casa depois das seis da manhã".
O "já tô velha demais pra isso" serve para todo tipo de situação. Inclusive para a vida afetiva. Porque chega uma hora em que você simplesmente não tem mais paciência para os joguinhos de outrora. Existe um momento, muito nítido, em que você se dá conta de que está mesmo velha demais para não fazer o que tem vontade de fazer. Ou vice-versa.
Vou fazer vinte e cinco anos e nunca tive um relacionamento de verdade. Tive desencontros, equívocos, mal-entendidos. Relacionamentos platônicos, impossíveis, imaginários. Todos eles. Mas reais e adultos, não faço ideia de como sejam.
Não sei por que isso acontece. Talvez porque eu sempre foque as pessoas erradas. Ou talvez porque eu morra de medo de precisar de alguém. De ficar vulnerável e quebrar a cara.
Seja como for, de uma coisa eu tenho certeza. Apesar de ser muito nova para me preocupar com isso, eu já estou velha demais para não admitir que seria legal tentar.

26 comentários:

  1. O probl nem é estar vulnerável e quebrar a cara. O probl é mentir pra si mesma, achando q aquilo ali q tah acontecendo é apenas uma nuvem, e q vai passar, e q ele vai se tocar da pessoa maravilhosa q tem... Mas ele não se toca, a gente perde é tempo, e mais cabelos brancos surgem. Sou a favor do "antes só do que mal-acompanhada...". Dito!

    ResponderExcluir
  2. Muito boa essa "E tenho certeza de que nunca disse o mesmo para alguém que não estivesse furando o meu lugar na fila: "Meu amor, cai fora daí".

    O amor move montanhas!

    Mas de repente, um dia, voce se dá conta que está dizendo: "Meu amor, cai fora daí", para uma pessoa que voce ama de verdade, e o pior, ela cai fora e vc fica fodido. Ou pior ainda, ela não cai fora e vc tem que chamar um advogado, (ou um policial) pra mandar ela embora! Esses são pensamentos de alguem que ja está realmente velho!!
    Um dia vc chega la. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Opa... descobri esse blog hoje pelo jornal Destak. A princípio me pareceu só mais uma deslumbrada, mas gostei do que li. =]
    Eu tenho quase 32 anos e não tive muitos relacionamentos duradouros. Bom, mas relacionamentos adultos, não sei se existe, duvido. Sempre tem aquele momento em que o outro, ou a gente perde a cabeça. Mesmo velhos demais, continuamos crianças, às vezes. hehe
    Mas relacionamento é sorte. Alguns têm, outros não. E ninguém morre por isso. =D

    ResponderExcluir
  4. Que coisa quando a gewnte chega num determinado momento da vida da gente que se convence que precisa de alguém, de um amor! E o pior é quando esse alguém não chega e a gente acaba pensando que ele nunca vai chegar! Só se envolve com as pessoas erradas e daí pra decepção sobre o amor é um pulo! Eu cansei de procurar! Acho que é como dizem: o segredo é não correr atrás! O pior é que eu não procuro mais, mas tb não deixei de esperar!
    Beijo grande! Amo o blog!

    ResponderExcluir
  5. meu amor, estamos todos velhos, mas nao mortos! :P
    bjs!!!

    ResponderExcluir
  6. pior do que ficar velha, é ser rabugenta.

    ResponderExcluir
  7. Poxa, Débi, mas também, né...

    Fui no seu perfil e vi:
    Débi
    Atividade: Agricultura
    Local: Afeganistão
    Qualquer pessoa no seu lugar ficaria rabugenta...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Com 25 anos vc está preocupada???
    Deve ficar mesmo... diga logo 'meu amor' pra alguém, verdadeiramente ... não deixa pra depois!!!
    Acho q estou velha demais pra essa conversa!!!
    rsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  9. HAHAHAH adorei!!! tenho 27 e "me vi" nesse post!

    adorei aqui!!

    to te seguindo!

    ResponderExcluir
  10. Também estou me sentindo velha...e olha que mal fiz 23!! Velhos todos vamos ficar..e desculpa sempre vamos arrumar ... mas experiências em algum momento teremos que viver..seja com 23...ou 25...30...40...50..e para amar[convenhamos] nunca estaremos velhas!!! Não me canso de dizer nos coments...adorooo teus textos!! Bjoks

    ResponderExcluir
  11. isso é normal, achar um amor que realmente a gente sinta vontade de dizer e que ele tb esteja fora dos joguinhos é difícil, mas perceber isso é o primeiro passo...dos doze hahahhahahaha...além disso acho que homem tem grilo com mulher mais ou menos inteligente, nem precisa ser muito não, e no seu caso então com senso de humor psicótico, afunila mais suas chances (nossas)...penso que ser menos psicotica e mais piriguete ajudaria mas aí já é pedir demais. Quando a gente se distrai de repente aparece, como diz na biblia, orai e vigiai!!!!

    ResponderExcluir
  12. Je suis d'accord avec Chris (como eu já te disse - mulher muito inteligente = ameaça). O negócio, quando se é mais novo, é 8 ou 80. Uns não dizem jamais. Outros não cansam de dizer "meu amor" sem saber ao certo o que estão dizendo.

    ResponderExcluir
  13. Oi Natália!
    Olha só, outro dia na faculdade uma colega me perguntou meu Coeficiente de Rendimento. Quando eu respondi que era 9,8 ela respondeu: "É por isso que tu nunca arruma ninguém! Homem não gosta de mulher inteligente!"
    Pode parar!! Eu arrumo sim, e quem eu quiser, acontece que ser provida de inteligência, tb me faz ficar mais seletiva e exigente. Acredito que todo homem goste SIM de uma mulher inteligente, ainda mais se for para alguém sério, então não acredite nessa de "vc não ama e não é amado por que homem n gosta de mulher inteligente", apenas acredito que a hora certa e a pessoa certa demoram mais para se ajustar no caso das mulheres inteligentes. hehe
    Um super beijo e desculpa se escrevi demais.

    ResponderExcluir
  14. hahahahahahaaha....isso vai dar em tese de doutorado...pois segundo a biologia as mais neuroticas deixaram crias e as mais loucas revolucionaram e não conseguiram deixar herdeiros, será que temos de optar???
    Sobre hummm....inteligente ah, tá...mas sem psicose, pode até ser...quem vai saber mas psicose = humor, imaginação, descontração, possibilidades, feeling , e não me pergunte o que isso quer dizer, mas que não tem nada a ver com coeficiente de rendimento...

    ResponderExcluir
  15. Ok, eu sei que inteligência não significa apenas c.r., mas citei um exemplo para começar a divagar sobre o assunto. Sem mais para esse post ou vamos discutir lá fora. hehehehe

    ResponderExcluir
  16. Interessante... Pensei que só eu pensasse em "to velha demais pra isso" aos 25 anos...

    Legal também saber que você tem minha idade ^^

    Estamos velhas demais pra blogs?? Nah... Acho que não =]

    ResponderExcluir
  17. Como alguém aí em cima, também tenho 23...adorei o post e me sinto assim...e sempre digo, que agora que tô ficando velha eu só faço o que eu gosto, cansei de me meter em qualquer furada só por ser parceira! E nasda como essa boa desculpa! :D
    Teu blog é demais!

    ResponderExcluir
  18. Natalia,

    conheci hj seu blog por uma amiga no facebook. Li esse texto e super me identifiquei. Acabei de fazer 24 anos e me vejo nessa situação descrita por vc. Alías, vc tem um texto ágil e divertido, que consegue transformar um conflito numa situação engraçada. Adorei!

    ResponderExcluir
  19. Bem, quanto a ter desculpa para não ir no show dos Los Hermanos, concordo plenamente com o "estou velha demais para isso". Tenho incríveis 19 outonos completados e não me sinto na mínima obrigação gostar de aglomerações.
    Por enquanto tb tenho medo da vulnerabilidade e dependência (dependo da minha mãe que me faz o café e já penso que é muita coisa!), fica para quando minha idade psicológica alcançar a cronológica...Lá pelos 30!

    Adorei teu blog =D

    ResponderExcluir
  20. Confesso que pra mim essa desculpa tb funciona bem, inclusive nas mesmas situações(menos pra Los Hermanos, desculpa) e minha ansia em ter um relacionamento sério - e eu já estou indo pros 27!! - tb continua. Mas a esperança é a última que morre, eu acho...
    ADOREI seu blog! Simplesmente adorável!!!

    ResponderExcluir
  21. Tia avó e pedreiros?????? Vc está se superando mesmo. uahuahuahuhauhauhauhauhau. Não posso ficar rindo alto aqui no trab. ai ai

    ResponderExcluir
  22. Se for pra namorar um deses caras escrotos que dizem "eu gosto muito de você, MAS..." melhor ficar sozinha!!
    Mas se quiser mesmo tentar,
    Tô solteiro, me liga!! hehe (:

    ResponderExcluir
  23. hmm, pelo jeito sou a mais avançada em anos do blog... é impressionante como a geração de vocês ainda sofre com os mesmo dilemas do século passado. o que posso dizer que ajude minhas jovens companheiras de gênero... pra começar, eu tive um relacionamento longo e sério dos 23 aos 38 anos. esse foi o problema. sério demais, dramático demais, dependente demais. depois fiquei vários anos sozinha. tipo, vááários - isso foi uma singela homenagem à Natalia. tipo muito sozinha. foi a época do catálogo de amores imaginários, platônicos e impossíveis. saí dessa direto pra rede de um canalha profissional. quer dizer, fiz muita merda. mas como diz o outro, é fazendo merda que se aduba a vida, né? tenho experiência suficiente pra evitar repetir a mesma merda, pelo menos. então, jovens mulheres inteligentes, interessantes, auto-suficientes, plenas, criativas, sejam isso mesmo. amar e ser amado é troca, mas não barganha. pra trocar a gente precisa ser alguma coisa, se a gente não é nada, não tem nada, só vai encontrar gente vazia, porque quem está razoalvelmente pleno não vai querer alguém vazio. amar e ser amado é compatilhar, não completar o que está faltando no outro. se a gente está quebrada só vai encontrar gente quebrada, e dois quebrados não fazem um inteiro. sejam independentes sim, paguem suas próprias contas e façam terapia se for preciso, não joguem pro ser amado a obrigação de pagar suas contas financeiras e emocionais. e o principal, amar e ser amado é aprender a rir. de si mesmo, do outro, com o outro. o amor não precisa ser um dramalhão mexicano. joguinhos, tramas, chantagem emocional só criam uma coisa: DRAMA. isso mata mais do que rotina. mas não é preciso temer a vulnerabilidade. minha terapeuta diz que eu não sou a mulher maravilha. é estando vulnerável, não a alguém, mas aos próprios sentimentos tantas vezes ocultos, que acabamos descobrindo nossa força como mulheres, a energia feminina do cosmos e paramos de quicar como loucas bolinhas de borracha ao sabor da moda, das tendências, da moralidade oscilante, das exigências de tantos papéis a cumprir. pior, ao sabor da vontade dos homens que ou estão mais confusos do que nós, ou estão aproveitando ao máximo a oferta de sexo fácil, gratuito e variado. acredito que se formos mulheres melhores, mais conscientes, seremos companheiras melhores para nossos parceiros, mães melhores para nossos filhos homens, e enfim uma geração futura de homens vai conseguir amadurecer, ao invés de só virar meninos velhos.

    acho que dessa vez me empolguei mesmo... fazer o quê, a Adorável Psicótica me inspira...

    ResponderExcluir
  24. Parecia que eu ouvia você falar sentado contigo no gramado de um parque ao cair da tarde. Muito diferente... E muito legal!

    ResponderExcluir
  25. Adorei o texto, tenho quase 25 e estou me sentindo exatamente igual...:/

    ResponderExcluir

 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira