natalia

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Shoptime Psicótico


O que toda psicótica deveria comprar, se existisse:

1) Aplicativo para "desenviar" e-mails e mensagens de celular

Perdeu a cabeça e mandou um e-mail cabeludo pra alguém? Bebeu demais e escreveu três páginas de declaração de amor para o peguete de duas semanas? Mandou pros infernos seu chefe, seu namorado, sua sogra (ou os três de uma vez só num e-mail com cópia para todos)? Seus problemas acabaram! Com o software aplicativo para "desenviar" e-mails, você pode mudar de idéia e retirar o e-mail da caixa do destinatário, caso ele ainda não tenha lido.
É simples. Basta clicar no ícone "desenviar" ou "unsend" na barra de ferramentas do editor do seu e-mail e pronto. É como se nada tivesse acontecido.

(Tava de sacanagem ali em cima, mas fui checar e parece que a coisa existe mesmo. Vou deixar os links no final do texto senão as psicóticas apressadinhas não terminam de ler.)

De qualquer modo, já que a tecnologia está em desenvolvimento, eles bem que podiam aproveitar o embalo e inventar logo um "desenviador" de mensagens de celular, né? Quantos torpedos furiosos, melodramáticos e psicóticos não poderiam ser recuperados com um simples aplicativo para aparelhos de celular? Ai, ai...

2) Dispositivo anti-SPAM para a vida real

Extremamente útil para o dia-a-dia. Só sair marcando as pessoas chatas e inconvenientes como SPAM e se deleitar vendo cada uma delas se jogar no lixo.
Peguete mala da semana passada se aproxima de você numa festa e...opa! Se esquiva e vai direto pro lixo.
Ex-namorada do cara que você tá a fim aparece no seu bar preferido, mas, antes mesmo que te veja, ela sai correndo e se joga na lixeira. E fica ali, com as perninhas balançando pra fora, feito uma franga desgovernada.
Hare Krishna surge do nada te oferecendo livro de receita vegetariana, mas você o classifica como SPAM e pronto. Rapidinho o careca pula no caminhão da Comlurb, ainda em movimento.
Conheço gente que pagaria uma nota por um dispositivo desses...

Como prometi, eis os links:
www.tgdaily.com/content/view/41801/140
http://email.about.com/cs/aoltips/qt/et110503.htm

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Adorável surpresa


Mas não é que a Martha Medeiros elogiou o meu blog?

---> Aqui, ó! <---

Desse jeito, eu vou ficar uma psicótica muito metida...

Pros leitores que vieram de lá, sejam muitíssimo bem-vindos! (E quando eu digo de lá, quero dizer do blog da Martha, não do além. Porque, uma vez, eu saí com um cara bonitinho mas muito, muito doido. Por alguma razão, perguntei onde os pais dele moravam, ao que o rapaz olhou para o mar, apontou para o horizonte e disse, com olhar vidrado: "longe, muito longe"... Em suma, até hoje eu não sei se eles estão mortos ou se moram em Niterói.)

Sintam-se em casa! Afinal, psicose é que nem gripe suína. Deu mole, ela te pega também.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Guia da Mente Psicótica - capítulo 2


2 - Como chamar uma psicótica para sair

Quando ligar?

Querido rapaz, você pode e deve ligar sempre que sentir vontade. Mostrar que se importa é sempre uma atitude positiva, desde que você não dê uma de Glenn Close em "Atração Fatal".
Quando você dá trela demais para uma psicótica, você corre o risco de entrar na zona de rebaixamento, passando rapidamente de carinha interessante para mala-insuportável-ai-meu-deus-morra-morra-morra.
A coisa é simples. Se você não ligar a semana inteira, você é um escroto filho da puta que não liga a mínima para ela. Se você ligar a semana inteira, você é um louco psicopata carente sufocador. Tudo o que você precisa fazer é achar um meio termo, cruzar os dedos e torcer para ela não estar na TPM.

A hierarquia dos dias da semana

Sim. Caso você ainda não tenha se dado conta, os dias da semana são como as cartas do baralho. Assim como o "ás" não tem o mesmo valor que um "dois", uma segunda-feira nunca vai se equivaler a uma sexta ou um sábado.
A escala varia de psícótica para psicótica, mas muito pouco. Para mim, ela funciona mais ou menos assim:

Ás = Sábado

Porque sábado é, indiscutivelmente, o fillet mignon da semana. É o dia em que se acorda tarde e se dorme na hora que quiser. A menos que, comprovadamente, você tenha que trabalhar, não há desculpas para não chamar uma garota para sair nesse dia. Ela não é idiota, amoreco. Ela sabe muito bem que se você não está com ela, aproveitando o principal dia da semana, você certamente está com outrem. E quando eu digo outrem, eu quero dizer outra. E quando eu digo outra, eu quero dizer vaca baranga que não chega aos pés da psicótica negligenciada.

Rei = Sexta-feira

Por vir antes do sábado, a sexta tem o seu charme. Mostra que o cara tem uma certa pressa em te ver e não quer esperar até o dia seguinte para te chamar para sair.
Dependendo do estágio do relacionamento, meu caro rapaz, o convite pode até te dar passe livre para o resto do final de semana (desde que você dê algum sinal de vida até domingo, seja por mensagem, seja por uma ligaçãozinha).

Dama = Quinta-feira

Alguns podem se perguntar, "ah, mas por que quinta e não domingo?", já que domingo faz parte do final de semana e tecnicamente deveria fazer parte do grupo VIP. A resposta é simples. Domingo é o dia oficial da pieguice. Dia de ir ao cinema com o namoradinho, andar de mãos dadas no shopping e todas essas coisas asquerosas para quem vê o domingo apenas como um vácuo entre o sábado e a segunda.
Portanto, se a psicótica em questão não se encaixa no perfil do domingo piegas e está mais para "Sunday, Bloody Sunday", a quinta-feira é uma boa pedida.
Sem contar que no domingo rola aquela ressaca da sexta e do sábado. Quando o cara não te liga no final de semana todo e só te chama para sair no domingo, é quase como se ele dissesse: "ei, agora que eu já aproveitei, fiz tudo que tinha que fazer e me diverti horrores com outras pessoas, estou livre pra sair com você". Um abraço, querido. Aqui tu não te cria.

Valete = Domingo

Então. Eu sei que acabei de descascar o coitado do domingo, mas toda regra tem exceção. Se o rapaz, comprovadamente, esteve ocupado durante o fim de semana(e, quando eu digo comprovadamente, eu quero dizer fuçadamente em todos os meios reais e virtuais possíveis, afinal, tu não é psicótica à toa), ele tem um salvo-conduto para te chamar para sair no domingo. Porque, bem ou mal, domingo é melhor do que o que vem aí embaixo.

Lixo = Segunda, terça e quarta

É. Sinto informar, mas assim como em alguns jogos de cartas, a segunda, a terça e a quarta fazem parte do bagaço, do lixo, daquilo que as pessoas descartam.
Quando um cara te chama para sair nesses dias, ele está - consciente ou inconscientemente - te mandando um sinal. E o sinal é: "Hellooo, você não é tão importante assim". Ok, talvez sem o "hellooo", afinal, você não está saindo com uma biba. Caso esteja, pode esquecer este manual. Seu problema é outro.
Bom, mas como nos jogos de cartas, o bagaço pode, eventualmente, tornar-se algo interessante. Às vezes, no lixo, você pode encontrar a carta que faltava na sua canastra real. Cada caso é um caso. Mas via de regra, bom mesmo é o final de semana.
Claro que se você, rapaz antenado, saiu com a picótica num sábado, você automaticamente ganha "créditos de lixo", podendo, na semana seguinte, convidá-la para sair na segunda, na terça ou na quarta.
Lembrando que, uma vez gasto, o "crédito de lixo" não mais poderá ser usado, devendo o rapaz voltar a sair com a psicótica novamente nos dias bons, para só então tornar a ter o direito de utlizar os dias-lixo.

Que horas ligar?

O bonito mesmo é ligar até às 18h, independente do dia da semana escolhido. Lembre-se que a psicótica também tem planos. E se não tiver, vai fingir que tem. E se não fingir, é porque gosta mesmo de você, portanto, faça o favor de corresponder e ligar na hora certa!
Ligações entre às 19h e às 21h ainda serão consideradas, porém, com maus olhos e um desconfiômetro à mil. Porque as horas estão passando. E quando o cara espera muito tempo para ligar, é como se dissesse: "Ei, já liguei para todo mundo, não tenho absolutamente nada melhor pra fazer além de sair com você".
Ligações depois das 21h não são nem dignas de comentários. Se o cara te liga a essa hora, ele não tá nem aí pra nada. Ligações pós 21h só valem para pessoas muuuuito íntimas e/ou com justificativas muuuuito plausíveis. No mais, nem pense muito a respeito. Sim, ele só quer te comer. Não, ele não vai te ligar mais. Exceto daqui a um bom tempo, depois das 21h, quando ele procurar seu número (antes ou depois de outros números, isso não importa) e te chamar para sair de novo. Via de regra, fuja desse infeliz.


E fiquem ligados para mais dicas no Guia da Mente Psicótica.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Guia da Mente Psicótica - capítulo 1


1 - O que os homens não podem, nem devem, jamais, em hipótese nenhuma, dizer a uma mulher psicótica para justificar o término de um relacionamento.


"Não é você, sou eu"

Ok. (Pausa para respiração profunda) Vou dizer bem calmamente, porque estou de bom humor. Vai. Tomar. No cu. Tendo esclarecido essa questão, podemos seguir em frente de maneira mais civilizada.
Já andei falando aqui sobre essa que é, sem dúvida, uma das frases mais célebres da história dos pés na bunda.
Quando você, meu bom rapaz, quiser terminar com alguém, por favor não diga que o problema não é com ela. Porque, apesar dela saber que você tem problemas (mentais, principalmente), caso contrário não a estaria dispensando, essa frase causa uma péssima impressão. Ela soa canastrona, clichê e detestável. É, de longe, a pior coisa que você pode dizer (a menos que você confesse que é adepto do bestialismo).
Além disso, eu tenho pra mim que essa frase também não é muito verdadeira. Se você não quer ficar com uma pessoa, é claro que o problema é com ela. É alguma coisa que ela tem (ou não tem) que te desmotiva a continuar. E ela sabe disso.
Aí, nessa hora, o cara tenta melhorar a situação e diz:
- Eu que não quero me envolver com ninguém. Se a Luana Piovani aparecesse aqui e me pedisse em namoro, eu diria não.
Amm... ok... eu deveria me sentir melhor agora? Porque essa informação realmente não ajuda em NADA. Como assim "se a Luana Piovani aparecesse aqui"? O que que a Luana Piovani tem a ver com isso?? E se nem ela você tá aceitando, então ferrou, né!
Taí. Essa eu queria ver. Queria ver se a Luana Piovani chegasse lá e pedisse ele em namoro. Hum. Pensando bem, acho que eu não queria não. Deixa pra lá. Idéia idiota, idéia idiota.

"Você merece coisa melhor"

Essa, apesar de também ser manjada, tende a confundir um pouco a interlocutora psicótica. Porque, ao contrário da "Não é você, sou eu", essa frase tem a vantagem de ser verdadeira. Sim, você realmente merece coisa melhor. Ele está totalmente certo. E agora?
Agora nada! Presta atenção, psicótica, você está sendo manipulada! É claro que ele é um otário vacilão que não sabe o que tá perdendo, mas cabe a você - e somente a você - decidir se quer ou não coisa melhor.
Ao rapaz, cabe ser honesto e assumir que é ele quem não quer você, em vez de ficar bancando o altruísta, te libertando de uma vida ingrata ao lado de uma pessoa aquém do merecido.
E, vamos combinar, você já é bem grandinha. Já pode votar, entrar pro exército, ir pra guerra, beber, dirigir, beber e dirigir (se der sorte de não ser pega pela polícia, afinal, você também pode ser presa). Você já tem idade suficiente para saber o que merece.
Depois, quem foi que disse que você merece coisa melhor? Ele não conhece o teu passado, não sabe o teu karma. Se bobear, você merece até coisa pior. Vai que você foi Hitler em outra encarnação. Ou Stalin. Ou um mímico! De repente você merece mesmo sofrer nessa vida.
Então, amigão, se você estiver planejando dispensar uma psicótica, não diga que ela merece coisa melhor. É óbvio que ela merece coisa melhor. Dã! Ela sabe disso. Eu sei disso. Todo mundo sabe disso. Mas ela gosta de você, que há de se fazer? Se você não tem nada melhor pra dizer além disso, fique quieto. Porque redundância sim, ninguém merece.

"Os homens são diferentes das mulheres"

Quando eu tinha uns seis anos, minha mãe levou pra casa um clássico do cinema pós-moderno: "Um Tira no Jardim de Infância". Arnold Schwarzenegger e muitas criancinhas, em uma história cheia de ação, tiros e xixi na calça. Não necessariamente nessa ordem.
Aproveito esse momento tão sublime para fazer a citação mais incrível de todos os tempos. É a fala de um garotinho do filme, que diz (gênio, gênio): "Meninos têm pênis, meninas têm vagina".
Então, sim. Desde os seis anos, eu estou bem ciente de que os homens são diferentes das mulheres. Mas valeu por me lembrar. Vai que numa dessas eu me confundo, né?
Aqui vai a dica para as psicóticas desavisadas: quando um cara diz pra você que os homens são diferentes das mulheres, o que ele realmente quer dizer é: estou pegando outras.
Os homens adoram justificar seu comportamento promíscuo usando a premissa antiquada de que são capazes de separar sexo de sentimento. Grande coisa. Os cachorros também fazem isso. E os ornitorrincos. Cachorros e ornitorrincos ao mesmo tempo eu já não me atrevo a arriscar, mas quem sabe? Contanto que um não espere que o outro ligue no dia seguinte, tá tudo certo.
Enfim. Os homens conseguem dissociar sexo e afeto. Parabéns. Palmas pra eles. Só me responde uma coisa. E daí? Não, sério. Ser capaz de fazer uma coisa não significa que você precisa, de fato, fazer essa coisa. O cara que vende chiclete no ônibus, por exemplo, poderia estar matando, poderia estar roubando, mas não. Ele resolveu só interromper o silêncio da sua viagem e encher o saco de todo mundo. Então por que, por que o cara que você tá pegando também precisa pegar outras? Só porque ele pode? Porque a mulher tava lá dando mole? E não havia por que dizer não?
Ora! Mas eu digo por que dizer não! Porque toda vez que ele diz sim pra outra garota, ele está automaticamente dizendo não pra você. Porque toda vez que ele sai com outra, é uma vez que ele deixou de sair com você. Em cada um daqueles momentos, ele tinha a opção de te ver e simplesmente não te escolheu. Escolheu outra pessoa. E isso diz muito mais do que "os homens são diferentes das mulheres".
Não tente ser compreensiva e achar explicações na anatomia humana. Faça-me o favor! O cara não pode dizer que gosta de você e depois sair com outras só porque meninos têm pênis e meninas têm vagina.
Caso ele use isso como argumento, confunda-o com a pergunta: "Mas e as hermafroditas?".

Nem vem que não tem!

video
MULHER PSICÓTICA após ouvir as três frases acima

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Psicose sobre copos ou Todas as possibilidades do mundo


Sou viciada em metáforas. Acho que, ao longo da vida, por várias razões, acabei desenvolvendo um forte poder de abstração e passei a enxergar metáforas em quase tudo a minha volta.
Há alguns dias, estava olhando para um copo e comecei a pensar que ele não fazia muito sentido quando estava parado, ali no canto, sem ser usado. Que um copo não pode ser um copo, a menos que desempenhe sua função. E a função do copo é ajudar no ato de beber. Não que antes dele as pessoas não bebessem. Mas devia ser meio chato ter que juntar as mãos em conchinha na beira do rio e levar água para perto da boca toda vez que se tivesse sede. O cara que inventou o copo deve ter sido bem popular na época.
Como o Santo Graal, os copos são cheios de elementos simbólicos. Copos respiram. Eles se enchem e se esvaziam, repetidas vezes. E precisam disso para existir, igual aos seres vivos. Um copo não pode ser um copo se estiver sempre vazio. Ou sempre cheio. Ele só é um copo quando alguém bebe. É nesse momento, nesse breve instante, que o copo realmente assume sua função. É quando ele vive, com toda a sua "copidade". Mas se ninguém beber, então o copo não respira. Sem respirar, ele não vive. E nunca poderá ser um copo.
Sou viciada em metáforas. Tenho uma facilidade quase autista de criar meu próprio universo, de desgrudar as coisas dos seus contextos originais e associá-las a outras coisas, de acordo com a minha vontade.
Olhando para aquele copo, repousado inutilmente sobre a mesa do meu quarto, não pude deixar de me sentir um pouco triste por ele. Acho que os copos passam a maior parte do tempo esperando para ser copos. Nós que escolhemos não beber.
Copos são corações. Anseiam por ser usados. Entregues. Roubados. Até partidos. Quando os copos se quebram, eles querem ser consertados. Nós é que não queremos nos cortar com os cacos. Mas os copos não. Eles não se importam em ser juntados no chão. Pedacinho por pedacinho. Os copos só querem voltar a ser copos. Para que as pessoas nunca parem de beber. E eles nunca tenham que repousar sozinhos sobre as mesas dos quartos.
Sou viciada em metáforas. Sou viciada nas entrelinhas, no subtexto, no subentendido, nos múltiplos sentidos, nas várias interpretações.
Assim como os copos, estamos à mercê do devir, da transitoriedade e de todas as possibilidades do mundo.
E, para ser bem sincera, não gostaria que fosse diferente.
Mas, sei lá. Pode ser só a cachaça falando.
Porque meu copo está aqui do lado. E eu estou pronta para dar mais um gole.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

A Revanche dos Magos


Depois de escrever profusamente sobre a Sindrome de Mestre dos Magos, acho que a informação chegou ao Ministério da Magia em Hogwarts e providências já foram tomadas no sentido de coagir esta psicótica que vos fala.
Estava aqui andando pelas ruas de Paraty, no clima “eu coração livros”, longe dos magos, bruxos e feiticeiros que costumam circundar minha vida afetiva (sempre operando naquele velho esquema de aparecer e desaparecer), quando me deparei com o improvável: um homem estátua vestido de Merlin, no alto de um praticável, quase na esquina da minha pousada.
Inacreditável. Em uma feira literária, numa rua de pedras... E no meio do caminho tinha um mago gigante!
Já estava lá mesmo, então paguei para ver. Coloquei algum dinheiro numa urna ao lado do homem estátua e esperei que ele se mexesse. Então o mago me chamou para perto, pôs a mão no bolso, tirou duas pedrinhas e uma pequena tira de papel, como aquelas dos biscoitos da sorte e, delicadamente, depositou-as em minha mão.
Depois de uma semana trabalhando para não pensar naqueles que sofrem da terrivel SMM (Síndrome de Mestre dos Magos, favor não confundir com S&M) e repetir para mim mesma que preciso de alguém que se faça presente, eis que abro o bilhete:
Não espere resultados, mas continue investindo. Não é o momento de procurar segurança e definições. É hora de arriscar-se o quanto sua natureza lhe permitir. Siga em frente.
Em seguida, o mago gigante deu-me uma psicadela de olho. Safado sem vergonha. Maldito. E tornou a congelar.
 
Designed by Thiago Gripp
Developed by Márcia Quintella
Photo by Biju Caldeira